Select Page

Assassino do Maringá já confessou como matou a companheira

O homem suspeito de ter matado a companheira a golpes de x-ato em Leiria, que se encontra em prisão preventiva desde este sábado, 28, terá contado pelo menos três vezes a forma como cometeu o crime, nomeadamente ao patrão e aos elementos da GNR que o intercetaram durante a fuga.

O arguido, de 35 anos, de nacionalidade brasileira, pôs-se em fuga de carro após o crime, na noite de sexta-feira, e durante a viagem terá contado, por telefone, ao patrão as circunstâncias em que aconteceu a tragédia, que culminou com a morte da mulher, também natural do Brasil, de 34 anos. Quando saiu de casa comunicou às autoridades o crime que tinha acabado de cometer.

No final da fuga, que durou cerca de meia hora, o homem foi abordado por militares da GNR de Leiria, após ter-se despistado, aos quais também terá descrito as circunstâncias em que assassinou a mulher, num apartamento numa das torres do Centro Comercial Maringá, na presença dos dois filhos da vítima, de dois e seis anos de idade.

Este sábado, um juiz de instrução do Tribunal Judicial de Leiria decretou prisão preventiva ao homem, que fica assim a aguardar o desenrolar do processo relativo ao crime, que aconteceu num contexto de violência doméstica.

“O casal estaria a passar por uma fase má, registando-se algumas desavenças”, revelou uma fonte policial, citada pela agência Lusa, acrescentando que a PSP tinha sido alertada para discussões, “mas nada previa este desfecho”.

Segundo apurou o REGIÃO DE LEIRIA, o homem motivado por ciúmes, procurava controlar e condicionar as relações da vítima com outras pessoas. E, neste contexto, terá criado um perfil falso na rede social Facebook, através do qual contactou a companheira, empregada num café situado nas proximidades, tendo ficado desagradado com as reações dela. A vítima, após alegadas agressões anteriores, demonstrou a vontade de se separar do companheiro, o que este não aceitou.

O arguido, trabalhador numa empresa de materiais de construção civil, não tinha antecedentes criminais e foi abordado ao quilómetro 144,5 do IC2, na zona de Travasso, Pombal, sem apresentar ferimentos, e não ofereceu resistência aos militares da GNR.

As duas crianças, fruto de relações anteriores da vítima, estão sob a responsabilidade da Comissão da Proteção de Crianças e Jovens.

O crime ocorreu pelas 21 horas, no interior de um apartamento do 2º andar dos blocos habitacionais do Centro Comercial Maringá e a morte foi confirmada pela equipa médica do INEM no local, após as manobras de reanimação da vítima terem resultado infrutíferas.

A captura foi consumada por militares da GNR, que transportaram o suspeito para o comando territorial de Leiria, onde a detenção viria a ser confirmada por inspetores da Polícia Judiciária de Leiria, a autoridade com competência exclusiva para investigar este tipo de crimes.

No local do homicídio, na avenida cidade de Maringá, estiveram os Bombeiros Municipais de Leiria, a Viatura Médica de Emergência e Reanimação (VMER) e a unidade de psicólogos do INEM, num total de nove elementos e quatro viaturas, segundo o Comando Distrital de Operações de Socorro de Leiria.

Ao local deslocaram-se ainda PSP e a Polícia Judiciária, que investiga as circunstâncias concretas em que aconteceu a tragédia.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Primeira Página

Pergunta da Semana

A carregar

Está a ser eficaz a lei da igualdade salarial entre géneros que entrou em vigor há um ano?

Obrigado pelo seu voto!
Já votou nesta pergunta!
Selecione uma das opções!

Publicidade

Newsletter Região de Leiria

app repórter no mundo