Um homem de 57 anos foi detido, na passada segunda-feira, dia 10, em flagrante delito, por violência doméstica sobre a ex-companheira. O caso aconteceu na freguesia de São Martinho do Porto, concelho de Alcobaça, após denúncia, e foi acompanhado por militares da GNR, do Posto Territorial de São Martinho do Porto, do Comando Territorial de Leiria.

Os militares depararam-se com o suspeito “a agredir verbal e psicologicamente a sua ex-companheira, de 53 anos, ameaçando-a de morte”. Antes disso, o agressor “arrombou a porta da residência e danificou objetos pessoais da vítima”, com a qual teve um relacionamento durante 30 anos, informou a Guarda Nacional Republicana (GNR) em comunicado. O suspeito, ao ser abordado pela patrulha, “reagiu imediatamente com ofensas verbais, resistindo à detenção”.

“Foi ainda possível apurar que o agressor era reincidente neste tipo de comportamento violento, e que quando a vítima tentou terminar a relação, o suspeito perseguiu-a, chegando a controlar o seu quotidiano, culminando num episódio de ameaças de morte à vítima”, acrescentou a GNR. No ano de 2019, o casal já tinha sido referenciado pelas autoridades por um episódio de violência doméstica.

Presente ao juiz do Tribunal Judicial de Leiria, na quarta-feira, o detido ficou sujeito à medida de coação de prisão preventiva.

Namoro e violência

Em Leiria, a Associação Mulher Século XXI não vê razões para comemorar o Dia dos Namorados, que se assinala hoje, sexta-feira, tendo em conta o número crescente de denúncias por violência doméstica e no namoro que tem chegado ao Centro de Atendimento às Vítimas de Violência Doméstica do Distrito de Leiria. Este ano, registou, em média, um caso novo a cada dois dias.

“São números que nos assustam dado o pequeno intervalo de tempo a que nos referimos”, refere Susana Pereira, coordenadora da Mulher Século XXI, que regista histórias diárias de “desamor, pautadas por variadas violências, múltiplas maldades feitas ao sabor de cada mente”.

Sensibilizar e ajudar os jovens a prevenir a violência no namoro é uma das apostas da associação, que regista sinais “iguais” nos testemunhos que as vítimas – mulheres e homens – partilham nos atendimentos.

As informações, na íntegra, estão no artigo publicado esta semana na rubrica “Aqui perto” do REGIÃO DE LEIRIA. Já disponível nas bancas ou aqui na loja online.

 

JG/MR