São muitos os anos que separam os dois grupos que, esta manhã, estiveram na Mata dos Marrazes, em Leiria. Mas une-os um objetivo: a reflorestação daquele espaço que viu perder as suas árvores assoladas por uma doença dos pinheiros.

Cerca de 300 alunos do Agrupamento de Escolas de Marrazes juntaram-se a membros do projeto de inclusão social Viver Melhor e a utentes da AMITEI – Associação de Solidariedade Social de Marrazes na plantação de árvores num talhão da mata, junto às instalações do SCL Marrazes.

A iniciativa decorreu na manhã desta quinta-feira e continua amanhã, sexta-feira, com o objetivo de plantar 600 árvores e juntar população sénior e crianças na mesma atividade.

“Um dos objetivos do projeto Viver Melhor é precisamente esse, é que seja intergeracional. Tentamos que haja uma conjugação entre a população sénior e as crianças”, explica Ana Valentim, vereadora responsável pelo desenvolvimento social e espaços verdes na Câmara de Leiria.

Foram, aliás, os participantes do projeto Viver Melhor que deram o sinal de partida para a plantação que acabou por ter “uma grande mobilização”, acrescenta.

Para Cristina Pires, responsável do projeto que funciona no bairro social Dr. Francisco Sá Carneiro, em Leiria, esta é mais uma atividade de promoção do bem-estar e da saúde física e mental dos participantes.

“Tirá-los de casa, fazê-los conviver, experimentar coisas novas, ou que já não faziam há muito tempo, é importante”, esclarece.

A Mata dos Marrazes tem ainda um valor sentimental grande, vivido de perto por muitos dos moradores daquele bairro. “É muito sentida como deles, por isso esta iniciativa é muito significativa. Além disso, gostam muito de ver as crianças envolvidas nisto”, conclui Cristina Pires.

E o barulho provocado pelo entusiasmo dos mais novos não passa despercebido a quem por ali circula. As turmas do 5º ano da Escola Básica nº2 de Marrazes, os alunos da Escola Básica nº 1 de Marrazes e as crianças dos infantários de Marrazes e Quinta do Amparo riem e conversam enquanto colocam as árvores nos sítios indicados.

“A mata é o pulmão da escola e é importante que os alunos se envolvam e sintam a mata como um espaço deles”, adianta Jorge Brites, diretor do Agrupamento de Escolas de Marrazes. “Nada é melhor do que pôr as mãos na terra e senti-la”, acrescenta.

A maioria das árvores a plantar são carvalhos, amieiros, medronheiros e freixos. E quem não se esquece do medronheiro que plantou é Miguel Bento, um dos alunos que participou na iniciativa.

Com timidez, admite ao REGIÃO DE LEIRIA que gostou muito da experiência e que gostava de voltar à mata mais vezes. “Florestar faz bem à natureza e a nós também” – é a lição que retira da manhã passada no exterior.

A plantação contou com o apoio dos Bombeiros Municipais de Leiria, Serviço Técnico Florestal e Bombeiros Voluntários de Leiria.

Amanhã de manhã é dada continuidade a esta iniciativa, com outros 300 alunos do mesmo agrupamento e mais membros do projeto Viver Melhor. Mas a ideia pode não ficar por aqui: “Esta foi a primeira ação de plantação que fizemos, mas gostaríamos de continuar”, avança Ana Valentim.

E o envolvimento da população será sempre bem-vindo. “É importante que a população sinta a Mata dos Marrazes como sua e que este processo de reflorestação parta também da comunidade”, termina a vereadora.

 

Joana Magalhães
Jornalista-estagiária
joana.i.magalhaes@regiaodeleiria.pt

Joaquim Dâmaso
Fotojornalista
joaquim.damaso@regiaodeleiria.pt