Fotografia: Joaquim Dâmaso

O Centro Hospitalar de Leiria (CHL) não registou até à data qualquer caso de infeção pelo novo coronavírus entre os seus profissionais.

A informação foi avançada esta tarde por Licínio Carvalho, administrador de unidade, à margem da homenagem prestada pelas forças de segurança e proteção civil aos profissionais de saúde.

“Até à data de hoje, não temos um único profissional que tenha sido contaminado em contexto hospitalar, não obstante já termos triado e tratado mais de 70 doentes com Covid-19 no nosso centro hospitalar”, afirmou o responsável.

Segundo Licínio Carvalho, a unidade tem avaliado diariamente “se há ou não algum profissional  que está contaminado ou que foi infetado em serviço”, respondendo assim àquela que é “também uma primeira preocupação nesta fase”: salvaguardar a saúde e segurança dos profissionais para que possam continuar a cuidar dos doentes.

“As nossas equipas, e a nossa task force em particular, fizeram um trabalho excelente, pesado, intenso no sentido de salvaguardar os nossos profissionais para que possam tratar os nossos doentes. Felizmente temos tido excelentes resultados”, salientou o presidente do conselho de administração, acrescentando também não haver, neste momento, profissionais em isolamento.

“Já tivemos, fizeram teste, foram identificados como grupo de risco, e os testes até à altura deram negativos. Neste momento, não temos limitação nenhuma de nenhum profissional pelo facto de ter estado em contacto com doentes contaminados com Covid-19”, referiu ainda.

Hoje, sexta-feira, estavam hospitalizadas 11 pessoas que testaram positivo para o novo coronavírus no Hospital de Santo André, em Leiria, duas das quais nos cuidados intensivos. Os outros nove doentes estão internados numa unidade intermédia, incluindo uma parturiente que deu ontem à luz. O bebé testou negativo e a mãe encontra-se estável, adiantou o responsável.

Já a nível nacional, são mais de dois mil os profissionais de saúde infetados com o novo coronavírus.

Segundo avançou esta quinta-feira, o secretário de Estado da Saúde em conferência de imprensa, registavam-se ontem 2.131 casos de infeção entre profissionais de saúde, nomeadamente 396 médicos e 566 enfermeiros.

A estes somavam-se 1.169 assistentes operacionais, técnicos e outros profissionais de saúde infetados, revelou António Lacerda Sales, com base nos dados reportados pelo Sistema Nacional de Vigilância Epidemiológica (SINAVE).