Assinar
Saúde Exclusivo

Manuel Antunes: “O doente que entrou vivo na sala de operações tem de sair vivo da sala de operações”

Veio da África do Sul, em 1988, para chefiar o Centro de Cirurgia Cardiotorácica dos Hospitais da Universidade de Coimbra. Na prática, veio desencadear uma pequena revolução. Com um currículo extenso, é o número de corações em que já tocou que mais impressiona: 45 mil.

Que memórias tem da sua Memória, a terra onde nasceu?

Não tenho muitas. Estive na Memória até aos 5 anos e depois fui para Moçambique, para Lourenço Marques. A família foi juntar-se ao meu pai que tinha emigrado para lá em 1950.