A forma como Leiria viveu a primeira travessia aérea entre Portugal e o Brasil, a abertura da Base Aérea de Monte Real ou a criação do aeródromo da Gândara dos Olivais são alguns dos momentos marcantes na história da região sob o ângulo da aviação.

Desde o passado mês de outubro que estão compilados no livro “A Aviação na Imprensa de Leiria”, um trabalho de pesquisa do jornalista Joaquim Santos.

A estes episódios outros se somam no levantamento feito pelo autor, como a realização, em Leiria, de um voo pelo aviador Sallés no seu monoplano Bleriot, em 1914, ou o almoço que, em 1918, se realizou no Hotel Lis de homenagem ao piloto leiriense Pereira Gomes pela participação na Grande Guerra.

Joaquim Santos explica que “o livro aborda o século XIX – quando se sonhava voar – até setembro de 1959, com um texto explicativo de como surgiu a Base de Monte Real”. O prefácio é de Francisco da Cunha, comandante da Linha Aérea de Aviação e ex-piloto da Força Aérea de Monte Real.

O título “A Aviação na Imprensa de Leiria” foi lançado em outubro passado, no parque do avião, sem público e sem intervenções devido às restrições impostas pela pandemia da Covid-19.

Este é mais um livro que resulta dos trabalhos de pesquisa de Joaquim Santos na imprensa de Leiria. Do mesmo autor são também os títulos “Jornalismo leiriense e a Grande Guerra 1914-1918 – o caso do sacerdote jornalista José Ferreira de Lacerda”, “Comércio e serviços de Leiria com história”, “Imprensa de Leiria na história”, entre outros.

Esta é uma atividade a que o jornalista pretende dar continuidade, de forma a ir “revelando, nos seus livros, mais e novos contributos deste puzzle maravilhoso da história de Leiria”, refere em nota enviada à imprensa.

O livro “A Aviação na Imprensa de Leiria” pode ser adquirido nas livrarias de Leiria ou por encomenda, através do endereço joaquimmanuelalvessantos@hotmail.com, pelo valor de 20 euros.