Assinar Edições Digitais
Batalha

Assaltantes levam vedação da Quinta do Escuteiro na Batalha durante a noite

“Entristece-nos profundamente, mas não nos desmotiva”, refere a responsável pelo centro escutista.

“Uma parte significativa da rede de vedação do novo terreno” da Quinta do Escuteiro, no concelho da Batalha, “foi desmontada e levada por desconhecidos”, revelou esta terça-feira, dia 29, o centro escutista da região de Leiria-Fátima do Corpo Nacional de Escutas.

“A colocação da rede, no dia 2 de dezembro, foi o início de um projeto maior, de valorização do terreno adquirido há três anos, de modo a que as comunidades pertencentes aos agrupamentos de escuteiros da região de Leiria-Fátima possam usufruir do espaço”, refere em comunicado a Quinta do Escuteiro.

“Este furto [150 metros de rede, com o valor de 1.138 euros, considerando apenas o material], entristece-nos profundamente, mas não nos desmotiva”, adianta Daniela Casimiro, responsável pelo centro escutista.

Apesar do furto, ocorrido na madrugada de segunda-feira, dia 28, “os trabalhos de valorização prosseguirão, de modo a que a Quinta do Escuteiro continue ao serviço dos escuteiros, de outras associações e empresas, de grupos de amigos ou de famílias, dos oito municípios da região escutista de Leiria-Fátima,” adianta.

Numa comunicação enviada pela Quinta do Escuteiro aos agrupamentos de escuteiros da região de Leiria-Fátima, “é feito um apelo no sentido de colaborarem para a salvaguarda dos bens, adotando medidas simples para que situações como esta não voltem a acontecer”.

Por exemplo, “quem mora ou passa perto da Quinta do Escuteiro, esteja alerta e caso note alguma situação estranha ou suspeita, contacte a GNR da Batalha ou o centro escutista”, pois “o espaço enriquece a região e conta, por isso, com a ajuda de todos para a sua preservação”.

“Este centro move-se, em grande parte, pelo espírito de entrega, voluntariado e de serviço dos escuteiros de Leiria-Fátima, que se deslocam dos vários pontos da região para se dedicarem a este projeto comum, iniciado há 35 anos”, destaca o comunicado.

O assalto foi comunicado à GNR da Batalha, que “irá acompanhar o caso e reforçar a fiscalização na zona”, segundo os escuteiros.

Apoie o REGIÃO DE LEIRIA

Se chegou até aqui é porque este é um texto que lhe interessa. Por detrás dele há uma equipa e um conjunto de recursos que custam dinheiro e que, para continuarem a existir, precisam da sua ajuda. Gostávamos de lhe explicar como.