Assinar Edições Digitais


Covid-19

Covid-19: Doados mais de 500 quilos de produtos frescos no Mercado de Leiria para IPSS

Ação faz parte da terceira edição do “Terra Alimenta Leiria”, iniciativa que contempla instituições como o Centro de Acolhimento de Leiria e a Inpulsar

O programa “Terra Alimenta Leiria + Solidário”, iniciativa da Câmara de Leiria que visa a doação de produtos frescos no Mercado Municipal destinados a instituições de solidariedade, reuniu em cinco dias mais de meia tonelada, foi anunciado esta quarta-feira, 16.

“São 560 quilogramas de produtos unicamente doados por produtores, vendedores e clientes do Mercado Municipal”, disse à agência Lusa a vereadora com o pelouro do Desenvolvimento Económico, Catarina Louro, explicando que a iniciativa integra as medidas de apoio à economia local e de mitigação do impacto social e económico da pandemia de covid-19.

Segundo Catarina Louro, aquela quantidade “traduz-se em 1.850 refeições”.

A campanha, que iniciou este mês e decorre até ao Natal, nos dias de mercado municipal, “tem tido uma adesão muito positiva”, quer de produtores, vendedores e clientes, considerou a autarca.

“Os produtores locais já estavam habituados a este tipo de ações e, mais uma vez, responderam”, declarou a vereadora, referindo que “doam produtos de excelente qualidade logo quando o mercado abre portas”.

Catarina Louro adiantou que “ao longo das manhãs se vai vendo a colocação dos produtos frescos, frutas e legumes, por parte dos clientes e ao final da manhã os produtores e vendedores deixam os excedentes”.

Esta é terceira edição da iniciativa “Terra Alimenta Leiria”, mas a única que conta exclusivamente com doações.

“No mês de dezembro temos desenvolvido ações de âmbito solidário mais fortes e o Mercado Municipal também se associou, convidando os produtores locais, os vendedores e os clientes a doarem produtos frescos para chegar a IPSS [instituições particulares de solidariedade social] que não tenham apoio público”, afirmou.

Estão contemplados o Centro de Acolhimento de Leiria, que confeciona refeições para pessoas sem-abrigo e famílias carenciadas, e a InPulsar, que acompanha pessoas em situação de vulnerabilidade social, neste caso fazendo chegar a elas os produtos frescos, esclareceu Catarina Louro.

A outra IPSS é o Lar Rainha Santa Isabel, que acolhe menores e que, embora receba apoios, articula a redistribuição dos produtos com o Centro de Acolhimento de Leiria, observou a autarca.

Nas duas primeiras edições do programa “Terra Alimenta Leiria” foram abrangidas 19 IPSS do concelho, com caráter distinto: “Umas confecionam refeições e fazem a distribuição por famílias carenciadas, outras preparam cabazes para as famílias e outras utilizam os frescos para os seus utentes”, esclareceu Catarina Louro.

“O que nos interessava não era apenas ajudar as IPSS, mas que se evitasse a destruição de toneladas de produtos hortofrutícolas que não eram vendidos, os excedentes”, realçou, salientando que “nestas duas primeiras edições a Câmara de Leiria adquiriu 53 toneladas de produtos hortofrutícolas para distribuir por aquelas 19 IPSS, evitando a destruição e ajudando os munícipes em dificuldades”.

Acreditando que “2021 será um ano social e economicamente muito difícil”, Catarina Louro acrescentou que o município está “a avaliar outros projetos com os mesmos objetivos do ‘Terra Alimenta Leiria’”.