Assinar


Sociedade

CEPAE faz novo levantamento do património material e imaterial da região de Leiria

Último levantamento semelhante remonta ao final da década de 70 do século XX. Associação vai pedir informações a todas as juntas de freguesia do distrito de Leiria e concelho de Ourém.

Os Paços Reais de Monte Real são um dos exemplos a mapear entre o património material da região Foto: Joaquim Dâmaso

O Centro do Património da Estremadura (CEPAE) está a fazer um novo levantamento do património material e imaterial das freguesias do distrito de Leiria e do concelho de Ourém (Santarém), foi hoje anunciado.

“Este é um projeto ambicioso e importante para a região e será uma excelente ferramenta de consulta para as juntas de freguesia, câmara municipais, investigadores e outras instituições”, refere o CEPAE numa nota de imprensa.

A associação explica que desde o fim da década de 70 do século XX que “não era feito um levantamento desta dimensão”, então “coordenado por Carlos Eugénio (1910-1981), a pedido da Fundação Calouste Gulbenkian”, sobre o distrito de Leiria, e aponta ainda “o trabalho desenvolvido pelo CEPAE no fim dos anos 90 e primeiros anos do século XXI, com o mesmo objetivo, mas que não chegou a ser concluído”.

O CEPAE assinala que, “usufruindo das novas tecnologias e de melhor e mais rápida comunicação”, o novo levantamento “tem uma dimensão mais ambiciosa”, estando em curso o envio de um questionário com 12 tópicos para as juntas de freguesia do distrito de Leiria e concelho de Ourém.

“Este questionário irá permitir receber informações, por exemplo, relativas a monumentos, museus, núcleos museológicos, centro de interpretação, ação cultural (associações), ensino (estabelecimentos e cursos), locais de convívio, festividades, publicações, personalidades, artes, artesanato, património ambiental”, entre outros, esclarece a nota de imprensa.

Após a receção do questionário, o CEPAE vai “cruzar toda a informação e fazer algumas edições com todo este levantamento, e desenvolver uma base de dados que poderá ser constantemente atualizada”.

“Tanto as edições, assim como a consulta da referida base de dados, estarão, posteriormente, disponíveis para consulta, com o objetivo de serem mais uma ferramenta para quem quer estudar, investigar ou escrever sobre a região que engloba o distrito de Leiria e concelho de Ourém”, adianta.

À agência Lusa, o presidente do CEPAE, Adélio Amaro, disse que o grande objetivo desta iniciativa “é a recolha do património material e imaterial”.

“Há muita coisa que vai desaparecendo. Há também muitas juntas de freguesia que nos perguntam se determinado património tem valor ou não, quando se relaciona com obras publicas e à eventualidade de proteção”, afirmou Adélio Amaro.

Por outro lado, este levantamento permitirá conhecer que “figuras ilustres houve nessas freguesias e que obras deixaram”, continuou.

O dirigente informou que no questionário enviado às juntas os 12 tópicos subdividem-se noutros, “para se ter um conhecimento total”.

“Do ponto de vista associativo, pretende saber-se, por exemplo, as bandas, os ranchos e que outras coletividades existem nas freguesias”, enumerou, referindo que sobre as figuras ilustres dessas freguesias se quer conhecer “livros, artigos na imprensa ou obras construídas”.

Adélio Amaro declarou que este trabalho vai durar o ano todo, sendo que depois das juntas serão contactadas as coletividades, culturais, recreativas ou desportivas, “porque terão um acervo diferente do das juntas ao nível da documentação escrita ou fotográfica”.

“Vamos ainda cruzar informação e ter historiadores para confirmar alguma da informação que possa suscitar dúvidas, como a datação de um monumento ou o nome do responsável pela construção de uma obra”, adiantou.

O resultado deste levantamento vai estar centralizado numa base de dados disponível na internet e será objeto de publicação, o que se concretizará nos anos de 2022 e 2023.

Criado em 1993, o CEPAE tem sete municípios associados: Batalha, Caldas da Rainha, Leiria, Marinha Grande, Pombal, Porto de Mós (todos do distrito de Leiria) e Ourém (Santarém). São igualmente associados particulares, juntas de freguesia e associações.

Com sede na Batalha, o Centro do Património da Estremadura tem como área de intervenção a Alta Estremadura, que é o distrito de Leiria e Ourém, acrescentou Adélio Amaro.

Apoie o REGIÃO DE LEIRIA

Se chegou até aqui é porque este é um texto que lhe interessa. Por detrás dele há uma equipa e um conjunto de recursos que custam dinheiro e que, para continuarem a existir, precisam da sua ajuda. Gostávamos de lhe explicar como.