Assinar Edições Digitais
Marinha Grande

Marinha Grande assinala revolta operária ocorrida há 87 anos

Com o novo estado de emergência, o programa sofreu alterações, tendo sido adiadas algumas iniciativas programadas

O levantamento operário de 18 de janeiro de 1934 é assinalado, na Marinha Grande este domingo, dia 17, e na segunda-feira, com alterações ao programa inicial.

Já este domingo, o espetáculo de poesia “As palavras da liberdade”, que estava agendado para as 17 horas, na Casa da Cultura, irá ser transmitido online em direto na página do Facebook da Câmara Municipal da Marinha Grande e pela Marinha TV.

“Quem tenha adquirido bilhetes para esta data pode solicitar na bilheteira a devolução do valor pago”, refere a autarquia numa nota de imprensa.

Na segunda-feira, o programa comemorativo arranca com uma romagem aos cemitérios, às 10 horas.

Segue-se uma manifestação, às 11h30, para a praça do Vidreiro, um dos pontos altos das comemorações, organizadas pelo Sindicato Trabalhadores da Indústria Vidreira e pelas autarquias da Marinha Grande.

Haverá lugar a intervenções sindicais, estando confirmada a presença da secretária geral da CGTP, Isabel Camarinha.

As restantes iniciativas previstas, nomeadamente um passeio pedestre e a apresentação de uma exposição no Museu do Vidro, foram adiadas devido à entrada em vigor do novo estado de emergência, explica o STIV, que assegura que serão cumpridas as regras da Direção-Geral da Saúde, no que toca ao distanciamento e uso obrigatório de máscara.

A efeméride assinala uma revolta operária, no âmbito de uma greve geral no país, a 18 de janeiro de 1934. Na Marinha Grande, os operários vidreiros tomam o poder, situação que não se repetiu no país. Durante algumas horas, os vidreiros tomaram o poder, mas a insurreição acabou por ser esmagada pelo Estado Novo.