Assinar Edições Digitais
Presidenciais 2021

Acompanhe os principais temas das eleições presidenciais na região

As primeiras eleições nacionais em plena pandemia acontecem este domingo. Seis candidatos desafiam a reeleição de Marcelo Rebelo de Sousa para a Presidência da República.

Se está a ler este artigo através da aplicação móvel, clique aqui

O liveblog terminou.
  • Distrito reforça Marcelo, o candidato que parece ter seduzido mais à esquerda

    É um Marcelo Rebelo de Sousa reforçado aquele que podemos reconhecer no distrito de Leiria esta noite. Atingiu uma percentagem superior à de 2016 e parece ter preenchido o centro político, aparentemente somando uma boa fatia do centro esquerda ao seu pecúlio eleitoral.

    Resultados distritais 2021 (clique para ampliar)

    Resultados distritais 2016 (clique para ampliar)

    O Presidente reeleito deixou a cerca de 90 mil votos qualquer concorrência o que significa que venceu sem margem para dúvidas. Aliás, aumentou a vantagem de 91 mil votos em 2016 para cerca de 93 mil este ano.

    As mexidas surgem nos lugares seguintes.  

    Chega à justa aos dois dígitos, terceira, Ana Gomes, é a estrela mais brilhante à esquerda. Um facto que deixa claro o eclipse que a esquerda parece somar este domingo no distrito. Em 2016, os eleitores à esquerda de Marcelo ultrapassaram o um terço dos votos. Este ano, conseguiram aproximadamente um quinto. Perderam, literalmente, uma fração do eleitorado.   

    A equação que junta todas as variáveis da noite das presidenciais no distrito, fica mais clara quando aliamos resultados nas urnas aos rostos de quem os disputou, como pode ser conferido aqui.

    André Ventura, que representa a chegada da extrema-direita parlamentar aos lugares de destaque da corrida presidencial, arranca uma dúzia de votos em cada cem eleitores. Há cinco anos, no distrito, Marcelo Rebelo de Sousa assentou a vitória num eleitorado que não optou por uma vasta lista de opções, onde pontuavam sobretudo candidatos à esquerda. A direita parece agora afirmar-se e consolidar preferências, mercê do resultado de Ventura e Mayan.

    Parte da explicação para as alterações registadas este ano, pode radicar em quase 30 mil pessoas que, no distrito, deixaram de votar este ano, quando comparado com o número de votantes em 2016. A abstenção de 55,3% contrasta com os  49,8% de há cinco anos. E dos votos que nunca chegaram às urnas, não reza a história.

  • Leiria volta a escolher Marcelo e coloca André Ventura em segundo lugar

    Marcelo em primeiro, Ventura em segundo, Ana Gomes em terceiro. Foi assim em quase todas as freguesias do concelho de Leiria. Só na de Marrazes e na de Leiria, Pousos, Barreira e Cortes a tendência foi quebrada com Ana Gomes em segundo.

    Foi com uma percentagem ligeiramente superior à de há cinco anos que Marcelo Rebelo de Sousa venceu as eleições presidenciais deste domingo no concelho de Leiria. Desta vez, o candidato colheu 35.494 votos, o que lhe deu 65,48% dos votos contra os 65,21% de 2016.

    Em segundo lugar ficou André Ventura com 11,87% ao receber o voto de 6.434 eleitores. No concelho de Leiria, o candidato apoiado pelo partido Chega superou Ana Gomes que ficou em terceiro lugar com 10,49%.

    Em Leiria, confirma-se a tendência de descida de Marisa Matias, candidata apoiada pelo Bloco de Esquerdam, que reuniu 3,73% dos votos, contra os 6,52% de há cinco anos. Em 2016, tinha sido a terceira candidata mais votada.

    Tiago Mayan Gonçalves, apoiado pelo partido Iniciativa Liberal, foi o quinto candidato com 3,44% dos votos e Vitorino Silva – também conhecido como Tino de Rans – foi o sexto com os 1.582 votos que recebeu.

    Entre os sete candidatos, João Ferreira, apoiado pela CDU, foi o menos votado no concelho de Leiria. Recebeu 1.122 votos, uma percentagem de 2,07%.

    A abstenção no concelho subiu quase 5%. Situou-se nos 50,89% – em 2016 foi de 45,09%. Registaram-se ainda 791 votos em branco e 554 votos nulos.

  • Mais de 3 mil votos para Marcelo em Ansião

    A tendência mantém-se: Marcelo Rebelo de Sousa em primeiro lugar em Ansião, com 3.085 votos.

    Apesar da perda de 1.225 votos em relação às últimas eleições presidenciais, em que alcançou os 4.310, o candidato reeleito mantém a percentagem de votos acima dos 60%.

    Ansião junta-se aos concelhos do distrito de Leiria que atribuem o segundo lugar a André Ventura que, neste caso, conquistou 596 votos (13,06%).

    Dos 11.172 eleitores, foram 4.655 os cidadãos que se dirigiram às urnas. A abstenção fixa-se nos 58,33%.

  • Marcelo cresce na Nazaré onde a abstenção subiu até 64,61%

    Resultados finais na Nazaré (clique para ampliar)

    Marcelo Rebelo de Sousa venceu na Nazaré com mais cerca de 400 votos que em 2016, recebendo a preferência de 58,88% dos eleitores. Mas a abstenção também cresceu na Nazaré, com apenas 35,39% de vontantes.

    Ana Gomes ficou em segundo lugar, com 12,78% dos votos, e a extrema-direita de André Ventura foi terceiro, com 10,95%.

    Na Nazaré estavam inscritos 14.234 eleitores e 5.037 marcaram presença nas urnas, o que representa uma abstenção de 64,61%.

  • Marcelo com grande vantagem em Pombal

    Mais de 10 mil votos de diferença separam Marcelo Rebelo de Sousa de André Ventura nas presidenciais de Pombal. Com 66,10% dos votos, o atual presidente da República foi novamente eleito no concelho, repetindo o favoritismo de 2016.

    O candidato da extrema-direita, por sua vez, conquistou o segundo lugar do pódio presidencial com 12,64% dos votos, seguido por Ana Gomes, com 8,84%.

    Imagem retirada da página do Ministério da Administração Interna dedicada às eleições presidenciais de 2021

    A baixa afluência, porém, fez-se notar: dos 49.286 inscritos, apenas 19.203 votaram.

  • Marcelo reforçado e Ventura derrota candidato comunista na Marinha Grande

    O candidato apoiado pelo partido comunista, João Ferreira, foi ultrapassado pelo líder da extrema-direita parlamentar, André Ventura, no concelho da Marinha Grande. A frase anterior, que atendendo ao historial eleitoral do concelho poderia ser considerada uma possibilidade absurda até ao dia de hoje, acaba de se confirmar nos resultados eleitorais.

    Resultados finais no concelho da Marinha Grande (clique na imagem para ampliar)

    É certo que o candidato à reeleição conseguiu a vitória, com 57,9% dos votos  (bem mais que os 38,2% de 2016), e que a socialista Ana Gomes ficou em segundo (com 12,5%, mas distante dos 24,6% de Sampaio da Nóvoa em 2016), mas a surpresa da noite está no terceiro lugar. André Ventura, com 1.551 votos, deixa o candidato apoiado pelo PCP a mais de duas centenas de votos de distância. E apenas na freguesia da Moita, João Ferreira conseguiu ultrapassar Ventura, por magros dois votos.

    Em 2016, votaram nas presidenciais 16.754 pessoas (49,51% dos votantes), enquanto este ano foram a votos 15.241, ou seja 45,57% de taxa de abstenção.

  • Ana Gomes supera André Ventura em Caldas da Rainha

    Resultados finais em Caldas da Rainha Fonte: MAI

    Será um em poucos exemplos na região. Ana Gomes consegue um resultado final no concelho de Caldas da Rainha superior ao de André Ventura.

    O candidato do Chega é maioritariamente o segundo candidato às eleições presidenciais com mais votos alcançados nos municípios da região de Leiria, como pode verificar aqui, mas os 2.375 votos recolhidos por Ana Gomes foram suficientes para o superar.

    A vitória, em Caldas da Rainha, é, tal como na maioria do território nacional para Marcelo Rebelo de Sousa, com 61,97%.

    A abstenção foi de 56,53%.

  • Marcelo vence Ventura no Bombarral com diferença superior a 50%

    Resultados finais no concelho do Bombarral Fonte: MAI

    A recandidatura de Marcelo Rebelo de Sousa recebeu menos cinco votos do que em 2016 mas, em termos percentuais, o atual Presidente da República consegue 63,98% (mais 5,5% do que em 2016).

    Este resultado deixa André Ventura, o segundo candidato mais votado, a mais de 50 pontos percentuais, com 12,84%.

    O que também aumentou a percentagem foi a taxa de abstenção, com mais 2,51% do que na última chamada às urnas para as eleições presidenciais. Dos 11.135 votantes no concelho do Bombarral, apenas 5.219 (46,87%) exerceram o seu direito de voto.

  • Óbidos concede mais votos a Marcelo Rebelo de Sousa

    Foram 311 votos a mais do que em 2016 mas a escolha principal manteve-se: Marcelo Rebelo de Sousa foi o candidato à Presidência da República escolhido novamente em Óbidos, desta vez com 64,05% dos votos.

    Este ano, todavia, a diferença do primeiro para o segundo lugar foi mais ampla. Mais de 2.500 votos separam o candidato do PSD de Ana Gomes, que garantiu a segunda posição com 558 votos, apenas sete a mais do que o terceiro candidato, André Ventura.

    Imagem retirada da página do Ministério da Administração Interna dedicada às eleições presidenciais de 2021

    Com sete freguesias apuradas, Óbidos registou 4.964 votantes, num panorama de 10.470 inscritos.

  • Marcelo aumenta percentagem em Alcobaça

    Resultados finais em Alcobaça (clique para ampliar)

    Com menos cerca de 1.200 votos do que em 2016, Marcelo Rebelo de Sousa foi novamente o mais votado nestas presidenciais, aumentando mesmo a percentagem de votação (62,98% quando em 2016 teve 59,66%).

    A extrema-direita foi a segunda mais votada em Alcobaça, com André Ventura a receber 3.205 votos (14,42%), mais mil votos do que Ana Gomes.

    Marisa Matias, do Bloco de Esquerda, perdeu cerca de 1.200 votos em relação a 2016.

    Em Alcobaça estavam inscritos 48.556 eleitores e 22.718 marcaram presença nas urnas, o que representa uma abstenção de 53,21%.