Assinar
Marinha Grande

E se um tsunami nos atingisse? Região testa cenário em exercício internacional

As autoridades da Marinha Grande e Nazaré, concelhos da nossa região com fronteiras marítimas, anunciaram participação neste exercício.

Um alerta de tsunami simulado liga durante o dia de hoje, quarta-feira, as entidades da proteção civil portuguesa às suas congéneres de vários países num exercício para testar a velocidade de reação numa situação real. Municípios costeiros da nossa região estão também envolvidos neste exercício.

O exercício NEAMWAVE’21 centra-se nas comunicações que seriam necessárias em caso de um “sismo responsável pela geração de um tsunami com impacto na costa portuguesa”.

De Portugal serão chamados a intervir a Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil, o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), Marinha, corpos de bombeiros do litoral e de localidades no estuário de rios, dos Açores e Madeira, bem como outras entidades com responsabilidade em operações de socorro.

As autoridades municipais de Leiria, Marinha Grande, Pombal e Nazaré, alguns dos concelhos da nossa região com fronteiras marítimas, anunciaram a sua participação neste exercício.

A Câmara da Nazaré deu conta da participação do seu serviço de Proteção Civil (SMPC), bem como dos Bombeiros Voluntários e a Capitania do Porto da Nazaré. Por sua vez, o município da Marinha Grande adiantou que o Serviço Municipal de Proteção Civil da Marinha Grande estará diretamente envolvido no NW21, “fazendo parte integrante dos exercícios, executando, testando e avaliando os procedimentos inerentes às comunicações técnico-operacionais com todos os Agentes de Proteção Civil (APC)”.

Aliás, este exercício engloba “toda a faixa costeira e estuarina Oeste e Sul (envolvendo os distritos de Viana do Castelo, Braga, Porto, Aveiro, Coimbra, Leiria, Lisboa, Santarém, Setúbal, Beja e Faro), suscetíveis de serem afetadas por um tsunami”, esclarece ainda a autarquia.

Desta forma, desde as 08h30 e até às 14 horas, o IPMA estará em contacto com as entidades de gestão de emergências de países como Marrocos, Espanha, Reino Unido, Dinamarca, França, Alemanha ou Irlanda, servindo como Centro de Alerta de Tsunamis.

O IPMA intervém no exercício na qualidade de Centro de Alerta de Tsunamis responsável pela monitorização, deteção e difusão de alertas de tsunami a entidades coordenadoras nacionais.

Depois do tsunami de dezembro de 2004 no Oceano Índico que matou mais de 200 mil pessoas em vários países, foi criado um sistema de alerta e aviso na região do Atlântico Nordeste, Mediterrâneo e Mares Conexos.

Nesse âmbito funcionam centros de alerta de tsunamis em Portugal, França, Itália, Turquia e Grécia.

Com Lusa

Nota: Notícia atualizada às 16h45, com a indicação de que também Leiria e Pombal anunciaram a participação no exercício.

Apoie o REGIÃO DE LEIRIA

Se chegou até aqui é porque este é um texto que lhe interessa. Por detrás dele há uma equipa e um conjunto de recursos que custam dinheiro e que, para continuarem a existir, precisam da sua ajuda. Gostávamos de lhe explicar como.