Assinar
Sociedade

Politécnico de Leiria debate produção de alimentos personalizados com recurso a fabricação digital direta

O encontro do International Manufacturing Forum Series (IMFS) decorre esta quinta-feira, a partir das 10 horas.

“Alimentos e fabricação digital direta” é o tema da conferência que o Politécnico de Leiria (IPLeiria) promove esta quinta-feira no âmbito do ciclo internacional de conferências virtuais subordinado ao tema Indústria 4.0 e Fabricação Digital.

O encontro do International Manufacturing Forum Series (IMFS) decorre entre as 10 horas e as 16h30, por iniciativa do Centro de Desenvolvimento Rápido e Sustentável de Produtos (CDRSP), e conta com a participação de Maria Manuel Gil, investigadora do MARE – Centro de Ciências do Mar e do Ambiente do Politécnico de Leiria, Antonio Derossi, investigador da Universidade de Foggia (Itália), Michinao Hashimoto, investigador da Universidade de Tecnologia e Design de Singapura, e Lorenzo Pastrana, investigador do Laboratório Ibérico Internacional de Nanotecnologia (Braga).

A debate estará a produção de alimentos personalizados com um benefício nutricional aprimorado, através do uso de determinadas tecnologias.

“Alguns pacientes com sérios problemas de saúde têm de tomar uma considerável variedade de medicamentos todos os dias. Nestes casos, como são exemplo os pacientes com disfagia, haveria enormes benefícios psicológicos se a medicação pudesse ser incluída na própria dieta, de forma a que esses pacientes pudessem simplesmente fazer as suas refeições. Além disso, por exemplo, modificar uma dieta incluindo suplementos ou compostos ativos pode ajudar a prevenir doenças como a diabetes. Já estão a ser realizadas pesquisas em todo o mundo que estão a explorar estas ideias para produzir alimentos personalizados com um benefício nutricional aprimorado, usando tecnologias de fabricação digital direta”, descreve o mesmo comunicado.

Os interessados em assistir às conferências podem registar-se gratuitamente. A iniciativa está também aberta a todos os investigadores que pretendam intervir e apresentar os seus estudos, havendo espaço para a apresentação de 15 comunicações em cada sessão., refere o IPLeiria numa nota de imprensa.

Apoie o REGIÃO DE LEIRIA

Se chegou até aqui é porque este é um texto que lhe interessa. Por detrás dele há uma equipa e um conjunto de recursos que custam dinheiro e que, para continuarem a existir, precisam da sua ajuda. Gostávamos de lhe explicar como.