Assinar
Mercado

Empresas da região investem 20 mil euros num ano em bolsas atribuídas a estudantes do Politécnico

Foram ainda financiadas cinco bolsas de labelling, para a remodelação de quartos nas residências de estudantes

A atribuição das Bolsas + Indústria por 23 empresas da região premiou o desempenho de 29 estudantes do Politécnico de Leiria no ano letivo 2020/2021, num montante de 20.700 euros.

Além das atribuições aos estudantes, foram financiadas cinco bolsas de labelling, para a remodelação de quartos nas residências de estudantes, revelaram os parceiros do projeto na sessão de entrega das bolsas, que decorreu terça-feira, dia 13, durante o IX Encontro Politécnico de Leiria + Indústria.

“Estar neste programa é uma oportunidade única para os estudantes. Porque têm apoio financeiro, têm a oportunidade de imersão nas empresas, ficam com esta experiência no seu portefólio curricular e crescem. Além disso, as próprias empresas ganham com esta relação com os estudantes, que são o talento da região”, afirmou o presidente do Politécnico de Leiria, Rui Pedrosa.

“Este último ano foi muito difícil para o tecido empresarial e é bom perceber que, mesmo neste contexto, conseguimos manter o projeto a funcionar. É certo que houve uma redução do número de bolsas, no entanto, existem justificações que são facilmente compreendidas”, adiantou, por seu lado, o presidente da Nerlei, António Poças.

As Bolsas + Indústria surgiram no âmbito do protocolo de cooperação formalizado em 2013 entre a instituição de ensino superior, a Associação Empresarial da Região de Leiria (Nerlei) e a Associação Nacional da Indústria de Moldes (Cefamol), consistindo no desenvolvimento de atividades conjuntas que visam proporcionar aos estudantes o contacto com o tecido empresarial.

Rui Pedrosa, presidente do Politécnico de Leiria

“Quando lançámos este desafio ao Politécnico de Leiria tínhamos como objetivo aproximar mais a academia às empresas. Queríamos dotar os estudantes de um maior conhecimento interno das empresas, permitindo-lhes passar da parte teórica à experiência prática. Também com a possibilidade de os professores irem às empresas e verem a realidade do dia a dia”, explicou o presidente da Cefamol, João Faustino.

Segundo João Faustino, desde o início do programa as empresas já investiram entre 220 a 230 mil euros na atribuição de Bolsas + Indústria.

O IX Encontro Politécnico de Leiria + Indústria homenageou aos coordenadores dos cursos que viram os seus estudantes distinguidos, e distinguiu as escolas secundárias de origem dos estudantes.

Quem pagou e quem recebeu

Do valor de 20.700 euros referente à atribuição das 29 Bolsas + Indústria, 9.800 euros referem-se a 14 bolsas para estudantes do 3º ano de licenciatura, 5.400 euros a nove bolsas para estudantes do 2º ano de licenciatura, 2.500 euros a cinco bolsas para estudantes do 1º ano de licenciatura, e 3.000 euros diz respeito a uma bolsa de mestrado.

As 29 bolsas foram entregues a estudantes de nove cursos da Escola Superior de Tecnologia e Gestão (ESTG) e da Escola Superior de Turismo e Tecnologia do Mar (ESTM): Engenharia Mecânica (8); Engenharia Eletrotécnica e de Computadores (6); Marketing (3); Engenharia e Gestão Industrial (3); Engenharia Informática (3); Contabilidade e Finanças (1); Gestão (1); Engenharia Civil (1); e Engenharia Alimentar (3).

As empresas que este ano aderiram ao projeto são: Aki-D’el-Mar Mariscos, Böllinghaus Steel, Bourbon Automotive Plastics, Caixa de Crédito de Leiria, Do It Lean, Erofio, Frutas Classe, Geocam, GLN, InCentea, La Redoute, Luís Silvério & Filhos, Martos, Moldes RP, Moldoeste, Neckmolde, Pearlmaster, Planimolde, Plastimago, Ribermold, Socem MS, Solancis e TJ Moldes.

Apoie o REGIÃO DE LEIRIA

Se chegou até aqui é porque este é um texto que lhe interessa. Por detrás dele há uma equipa e um conjunto de recursos que custam dinheiro e que, para continuarem a existir, precisam da sua ajuda. Gostávamos de lhe explicar como.