Assinar


Leiria

PJ detém mais três suspeitos do caso de rapto e tentativa de abuso sexual de criança de 13 anos

Casamento forçado em junho terminou em violência. Polícia Judiciária desencadeou operação para a localização e detenção dos restantes três suspeitos neste caso

Imagem com a inscrição de Polícia Judiciária no exterior de um edifício

A Polícia Judiciária anunciou hoje, a detenção de mais três suspeitos relacionados com o caso de violência, ocorrido em junho, depois de familiares de uma menina, de 13 anos de idade, não aceitarem o casamento dela com um rapaz da mesma idade.

Através do Departamento de Investigação Criminal de Leiria, ontem, a PJ desencadeou uma operação para a localização e detenção dos restantes três suspeitos neste caso.

Sobre os detidos recaem suspeitas de envolvimento em crimes de rapto, tentativa de homicídio, danos com arma de fogo e abuso sexual de criança, nas cidades de Leiria e Marinha Grande.

Esta operação ocorreu na sequência da emissão dos respetivos mandados pelo DIAP de Leiria, aponta a Judiciária em comunicado divulgado ao início da tarde de hoje.

As autoridades recordam que esta operação decorreu na sequência de outras detenções já realizadas em junho. No dia 22 de junho deste ano, “no âmbito do mesmo inquérito”, foram detidos cinco indivíduos “pela suspeita da prática dos mesmos factos, sendo que, à data, estes ficaram sob a medida de coação de prisão preventiva”.

O caso decorre dos factos ocorridos num fim-de-semana de junho deste ano. A situação foi espoletada “pela recusa de uma família em aceitar o ‘casamento’ da sua filha de 13 anos de idade com um rapaz de igual idade”, explica a PJ em comunicado.

Os suspeitos são familiares do rapaz e “encetaram diversas ações criminais que, num primeiro momento, se consubstanciaram na tentativa de assassinato a tiro do pai da menor, danos com arma de fogo, nomeadamente numa viatura e numa casa, e tentativa de rapto da criança”.

Posteriormente, avança a PJ, os suspeitos terão estado envolvidos na “consumação do rapto” da criança do sexo feminino e na tentativa de que “esta consumasse relação sexual com o forçado pretendente, acabando por ser libertada no dia seguinte”.

Os suspeitos ontem detidos têm entre 24 e os 30 anos e “não têm ocupação laboral conhecida e possuem todos antecedentes policiais e criminais”.

A PSP da Marinha Grande esteve envolvida na efetivação das detenções e os três detidos serão agora presentes a tribunal para aplicação de medidas de coação.

Apoie o REGIÃO DE LEIRIA

Se chegou até aqui é porque este é um texto que lhe interessa. Por detrás dele há uma equipa e um conjunto de recursos que custam dinheiro e que, para continuarem a existir, precisam da sua ajuda. Gostávamos de lhe explicar como.