Assinar


Cantinho dos Bichos

Grifo resgatado em Pombal vai ser libertado

Animal foi recolhido pelo grupo Amigos do Arunca, que lançou uma campanha de angariação de donativos, online, que permitiu cobrir a totalidade dos custos da reabilitação do animal.

Sábado, 20 de novembro, é o dia escolhido para ser devolvido à liberdade o grifo resgatado, no final de setembro, em Casal Velho, no concelho de Pombal.

O animal tem estado aos cuidados do Centro de Estudos e Recuperação de Animais Selvagens de Castelo Branco (CERAS), da Quercus, depois de ter sido recolhido pelo grupo local Amigos do Arunca.

Emanuel Rocha, membro do grupo, foi alertado, a 24 de setembro, para a presença do animal, apático, pousado no muro de uma casa da localidade em Pombal. No mesmo dia, mobilizou meios para proceder ao resgate daquela que é a segunda maior ave necrófaga da Europa, tendo sido depois encaminhada para o centro de recuperação.

Já em outubro, no dia 14, o grupo lançou uma campanha de recolha de donativos, online, para fazer face às despesas associadas à reabilitação do animal. A meta de 500 euros foi esta semana ultrapassada.

“A campanha terminou ontem [quinta-feira] e com alegria comunicamos que foi totalmente financiada, ultrapassando o valor proposto”, anunciou o grupo Amigos do Arunca.

“Marcamos o dia da cidade de Pombal [11 de novembro] como dia último da campanha de forma simbólica para com o nosso rio Arunca e festejámos assim a recuperação da ave resgatada no nosso concelho, com a preciosa ajuda do CERAS”, acrescenta. 

Numa nota enviada às redações, adianta ainda que o grifo (Gyps fulvus) será libertado a 20 de novembro, pelas 11 horas, no miradouro das Portas de Rodão, em Vila Velha de Rodão, no distrito de Castelo Branco.

Durante estes quase dois meses, a ave esteve no Centro de Estudos e Recuperação de Animais Selvagens (CERAS), um projecto gerido pelo núcleo regional de Castelo Branco da Quercus, com o apoio da Escola Superior Agrária de Castelo Branco (ESA) e de outros mecenas particulares, que tem como principal objectivo recuperar animais selvagens debilitados e devolvê-los ao meio natural.

Apoie o REGIÃO DE LEIRIA

Se chegou até aqui é porque este é um texto que lhe interessa. Por detrás dele há uma equipa e um conjunto de recursos que custam dinheiro e que, para continuarem a existir, precisam da sua ajuda. Gostávamos de lhe explicar como.