Assinar


Alcobaça

Infraestruturas de Portugal anuncia que beneficiação do IC2 entre Rio Maior e Benedita arranca em janeiro

A empreitada, orçada em cerca de 8,4 milhões de euros, obteve visto prévio do Tribunal de Contas

Obras vão durar 450 dias (foto de arquivo: Joaquim Dâmaso)

A Infraestruturas de Portugal (IP) anunciou hoje o arranque, em janeiro, da beneficiação do troço do IC2 entre Asseiceira (Rio Maior, Santarém) e Freires (Alcobaça, Leiria), obra orçada em mais de 8,4 milhões de euros.

Em comunicado, a IP afirma que a empreitada, com cerca de 20 quilómetros, obteve visto prévio do Tribunal de Contas, estando “reunidas as condições para as obras se iniciarem no próximo mês de janeiro”, sendo o prazo de execução da obra de 450 dias.

A intervenção visa “o reforço da segurança e condições de mobilidade dos milhares de automobilistas que diariamente circulam no IC2”, acrescenta.

A obra inclui a reabilitação integral do pavimento, o reforço e reabilitação do sistema de sinalização (horizontal e vertical), dos equipamentos de segurança da estrada e do sistema de guiamento e balizagem, bem como a beneficiação global do sistema de drenagem da via e a reformulação de cinco intersecções de nível, com construção de rotundas que substituirão os atuais cruzamentos, lê-se na mesma nota.

Contactado pela Lusa, o porta-voz do Movimento Marcha Lenta do IC2 afirmou ser “giro” que o anúncio tenha, novamente, acontecido quando está em preparação um novo protesto, desta vez diferente dos realizados até aqui, dada a elevada perigosidade da via e a situação “vergonhosa” em que se encontra há anos.

José Belo afirmou que, perante o anúncio de hoje, o movimento irá decidir se aguarda por janeiro, para ver “se é desta” que avança a obra, várias vezes anunciada sem nunca se concretizar, ou se o protesto acontece mesmo antes do Natal.

“Já chega de brincadeira”, disse, lamentando que a intervenção de “mitigação” anunciada aquando do anúncio do último protesto tenha servido “para tapar os olhos, não os buracos”, que lá continuam, provocando quase diariamente o rebentamento de pneus e o despiste de camiões.

“Só por sorte não aconteceu ainda uma tragédia”, declarou.

A IP deliberou em outubro de 2015 proceder ao lançamento do procedimento pré-contratual necessário à contratação da empreitada denominada “IC2/EN1 – Beneficiação entre Asseiceira (KM 65+200) e Freires (KM 85+500)”, pelo valor de 7,5 milhões de euros, que, na altura, faseou pelos anos de 2016 (1,15 milhões de euros) e 2017 (6,35 milhões de euros).

O lançamento do concurso voltou a estar previsto até ao final de 2018, com previsão do início da empreitada no segundo semestre de 2019, “condicionado, todavia, à obtenção da autorização de encargos plurianuais”, como admitiu, na altura, a empresa, na resposta a uma questão do município de Rio Maior.

Em 2019 e em fevereiro de 2020 foi anunciada nova previsão de lançamento do concurso público, assegurando João Belo que, nessa altura, foi garantido já existir visto prévio do Tribunal de Contas e adjudicação da empreitada, que se iniciaria no primeiro trimestre deste ano.

O IC2 liga Lisboa ao Porto, funcionando como uma variante à Estrada Nacional n.º 1. A elevada sinistralidade tem motivado vários apelos ao longo dos últimos anos, incluindo na Assembleia da República, a exortar para uma “requalificação urgente” dos troços mais perigosos do IC2.

Tenha acesso ilimitado a todos os conteúdos do site e à edição semanal em formato digital.

Se já é assinante, entre com a sua conta. Entrar