Assinar
Legislativas 2022

CDU vence Chega na Marinha Grande, Figueiró e Caldas entram na onda rosa

Leiria segurou a vitória dos sociais-democratas, tal como o concelho de Ourém.

Pela primeira vez o partido socialista venceu as eleições legislativas no distrito de Leiria. Com mais quatro por cento, cerca de 12 mil votos, do que em 2019, o partido elegeu cinco deputados, contra quatro do PSD e um do Chega, um estreante nesta andança no distrito, que se assumiu como terceira força política.

Com menos dois mil eleitores inscritos nos cadernos eleitorais, comparativamente a 2019, a abstenção apresentou um valor mais reduzido, 42,92%, tal como o número total de votos nulos e brancos. Existiram menos 6.860 votos em branco ou nulos, contabilizados no ato eleitoral de ontem.

Em simultâneo, os principais partidos votados registaram um aumento do número de votos, evidente em quase todos os concelhos da região. Nesta análise territorial, há dois concelhos que se destacam e pela mesma razão: em Figueiró dos Vinhos e em Caldas da Rainha, os socialistas conseguiram superar o PSD, mudando o sentido de voto registado nestes concelhos nas últimas chamadas às urnas.

Esta é mesmo a primeira vitória socialista em eleições livres nas Caldas da Rainha, terra do número dois e líder da distrital do PSD, Hugo Oliveira, com 36,36%, mais 1.069 dos votos do que o PSD.

No caso do norte do distrito, a diferença em 2019 entre o PSD e o PS foi de 71 votos. Este ano, o PS ganhou as eleições no concelho de Figueiró dos Vinhos com 61 votos a mais do que os sociais-democratas.

Se olharmos para o distrito de Leiria há contudo um empate: oito concelhos deram a vitória ao PS e outros oito atribuíram o triunfo eleitoral ao PSD.

Nos concelhos com triunfo socialista, destaque para o Bombarral, que passou de 35%, em 2019, para 41%, em 2022, mas também Marinha Grande, Nazaré, Peniche, Óbidos e Castanheira de Pera subiram no número de votos.

Alcobaça, Ansião, Alvaiázere, Batalha e Pedrógão Grande mantiveram-se fiéis ao PSD. Em Pombal, apesar da vitória, com mais votos do que há dois anos, a percentagem foi menor (41,14% para 40,98%), com o PS e o Chega a ocuparem a segunda e terceira posições, também com mais votos – o PS subiu de 6.413 para 7.881 votos, enquanto o Chega, a sétima força política no concelho, com 431 votos em 2019, subiu ao terceiro lugar, com 2.032 votos este domingo,.

Em Leiria, o concelho manteve-se PSD, com 37,79% dos votos dos eleitores, mas o PS angariou mais 3.657 votos do que em 2019.

Outro dos destaques da noite eleitoral vai para o crescimento do Chega, que conseguiu mais 15 mil manifestações de voto nestas eleições. O partido liderado por André Ventura passou de 1,49% (3.321 votos) para 8,02% (18.918 votos) no distrito de Leiria e assumiu-se como terceira força política.

Só num concelho o Chega não conseguiu esse patamar: foi na Marinha Grande, onde a CDU conseguiu mais 450 votos do que o Chega.

Dos restantes partidos com assento parlamentar, o Livre conseguiu uma ligeira subida, de 2.053 votos em 2019, para 2.469 na noite de domingo.

Resultado bem diferente e expressivo tiveram PAN, CDS-PP e Bloco de Esquerda, com menos 3.323, 7.071 e 10.214 votos respetivamente, que acabaram por ser encaminhados para outros partidos. Um grande crescimento teve também a Iniciativa Liberal, com mais 10.346 votos passando de nono para quarto partido mais votado em Leiria.

Na região de Leiria, nota ainda para o concelho de Ourém, onde o PSD manteve a vitória, com quase o dobro da percentagem do PS – 47,16% contra 24,45% dos votos. Este foi também o único concelho do distrito de Santarém a ir contra a corrente rosa. Os dois partidos tiveram mais votos do que em 2019 e o Chega, também aqui, se afirmou como terceira força política.

Tenha acesso ilimitado a todos os conteúdos do site e à edição semanal em formato digital.

Se já é assinante, entre com a sua conta. Entrar