Assinar
Exclusivo

Teatro D. Maria II vai andar em 2023 pelo país e chega a Leiria, Pombal, Caldas da Rainha e Ourém

Pela primeira em quase 180 anos de história, o Teatro Nacional vai deixar o Rossio e fazer itinerar equipas técnicas e artísticas por dezenas de municípios nacionais.

O Teatro Nacional vai receber obras profundas no próximo ano Teatro Nacional D. Maria II

O Plano de Recuperação e Resiliência vai trazer o teatro e o restante saber-fazer do Teatro Nacional D. Maria II (TNDMII) à região em 2023. Uma das mais ambiciosas campanhas de remodelação da sala de espetáculos da capital lança as equipas técnicas e artísticas do teatro nacional numa verdadeira odisseia pelo país. Será a primeira vez em 180 anos que o TNDMII se vai instalar em casa emprestada, neste caso muitas casas: a ambição é chegar a 80 municípios do norte, centro, sul e ilhas, avançou ao REGIÃO DE LEIRIA o diretor artístico, Pedro Penim.

A coordenação do teatro está a fazer um périplo pelas salas selecionadas e já passou por cá. O Teatro José Lúcio da Silva, em Leiria, o Centro Cultural e Congressos, nas Caldas da Rainha, o Teatro-Cine de Pombal e o Teatro Municipal de Ourém são espaços que vão receber o TNDMII.

No território da Rede Cultura, Torres Novas, Torres Vedras e Alcanena também acolhem a programação de 2023, que além de espetáculos – “pela primeira vez vamos ter estreias fora de Lisboa” – que vão do teatro mais clássico a estéticas mais arrojadas, aposta na capacitação das salas, envolvendo equipas artísticas e técnicas. A intenção é contribuir com o conhecimento do Teatro Nacional em áreas que vão da produção à formação de equipas, passando pela mediação de públicos, bilhética, comunicação e outras áreas essenciais.

“Já não estamos numa lógica de vai Lisboa mostrar ao resto do país o que está a fazer”, esclarece Pedro Penim, que encara a colaboração pensada como “muito mais interessante”. “Esta é uma oportunidade incrível, inédita e até diria histórica de ter o teatro nacional em todo o país”, sublinha, entusiasmado com o desafio colocado neste seu primeiro ano de programação.

Penim acredita que 2023 “influenciará definitivamente a maneira como país olha para o Teatro Nacional”, e o contrário também acontecerá. “Temos muito a aprender com este ano de 2023. Na verdade, o TNDMII nunca mais será mesmo. Vai ser um projeto muito transformador”, sublinha o diretor artístico.