Assinar


SOS Ucrânia

Artigos e doces feitos por ucranianos adornam andor em festa de Leiria

Festa das Chouriça, em Riba d’Aves, recebe na tarde de domingo, dia de 24 de abril, uma simbólica manifestação de solidariedade com a Ucrânia.

Cartaz a festa que, este ano, na procissão, conta com um andor solidário

Artigos e doces feitos por mãos ucranianas vão adornar um andor que vai integrar a Festa das Chouriça, em Riba d’Aves, concelho de Leiria, que decorre de sexta a segunda-feira.

A iniciativa partiu da presidente da Associação para o Desenvolvimento de Matoeira e Carril, na freguesia de Regueira de Pontes, a que acedeu a organização da festa em honra de Nossa Senhora das Vitórias e de São Jorge, conhecida como Festa das Chouriça, na localidade de Riba d’Aves, na União de Freguesias de Souto da Carpalhosa e Ortigosa.

“O andor vai ter as cores da bandeira ucraniana [azul e amarelo] e vai ser transportado por pessoas ucranianas residentes na freguesia de Regueira de Pontes”, explicou Manuela Brás, referindo que se trata “do andor tradicional português, em madeira”.

Segundo a dirigente da associação, colocados no andor vão estar doces típicos da Ucrânia e artigos manuais desenvolvidos por cidadãos deste país a residir na freguesia de Regueira de Pontes.

“A ideia surgiu depois ter sido pedida à associação a venda de doces típicos da Ucrânia”, relatou Manuela Brás.

Por outro lado, “seria uma forma de a comunidade ucraniana conviver e recolher fundos com a venda dos doces e dos artigos colocados no andor”, adiantou.

O andor está a ser preparado na sede da associação – onde também se recolheram bens para a Ucrânia – e sai para a festa em Riba d’Aves no domingo, acrescentou Manuela Brás, que acolhe em casa uma família de refugiados ucranianos, mãe de 29 anos e os seus dois filhos, de 8 e 10 anos. O marido e pai ficou na Ucrânia.

Daniel Esteves, um dos 11 elementos da organização das Festas da Chouriça, disse que foi aceite a novidade do andor feito por ucranianos “por amizade”, na sequência do pedido feito pela associação, reconhecendo, igualmente, que é uma “forma de ajudar a comunidade ucraniana”.

A procissão com os andores começa às 14 horas de domingo, com pelo menos sete.

De acordo com Daniel Esteves, a designação das festas remonta “há 30 e tal anos”, numa tradição que se mantém: vende-se chouriço que as pessoas podem levar para casa ou assar e comer no recinto da iniciativa, que tem condições para tal.

Habitualmente, passam pelo recinto das festas cerca de três mil pessoas, mas nesta edição são esperadas mais, após um interregno nos festejos de dois anos devido à pandemia de covid-19, afirmou o responsável.

“No sábado e no domingo são os dias mais fortes”, declarou.

O programa das festas da Senhora da Vitória e São Jorge inclui, além da missa, no domingo, às 12 horas, música e outra animação, além dos tradicionais “comes e bebes”, acrescentou o elemento da organização.

Tenha acesso ilimitado a todos os conteúdos do site e à edição semanal em formato digital.

Se já é assinante, entre com a sua conta. Entrar