Assinar
Região à Mesa

Cacau a dezenas de metros de profundidade é a nova experiência do chef chocolatier Daniel Gomes

Dentro de uma barrica de vinho do Porto, nas Grutas de Mira de Aire, está cacau em maturação desde 12 de abril.

A barrica de carvalho foi cedida pela família Dona Otília Porto & Douro Wines Companhia Portugueza do Chocolate

A 80 metros de profundidade, nas Grutas de Mira de Aire, no concelho de Porto de Mós, está a decorrer, desde 12 de abril, uma experiência única da autoria da Companhia Portugueza do Chocolate. Trata-se de uma ideia do chef chocolatier Daniel Gomes, que levou à colocação de cacau fino dentro de uma barrica de vinho do Porto, debaixo de terra.

O objetivo, explica a Companhia Portugueza do Chocolate em comunicado, é deixar o cacau maturar durante 365 dias, para depois serem fabricadas artesanalmente 100 unidades daquele chocolate. Processo que implicará ainda 72 horas para a transformação em chocolate e 15 dias de repouso.

O chef chocolatier acredita que desta experiência irá resultar uma “proposta de chocolate verdadeiramente diferenciado”. E para criar o “melhor chocolate português”, Daniel Gomes optou por usar cacau fino cru de São Tomé e Príncipe e uma barrica de carvalho centenária cedida pela família Dona Otília Porto & Douro Wines.

De acordo com a mesma nota de imprensa, o último vinho que repousou naquela barrica foi “um tawny com mais de 50 anos”.

Segundo a Companhia Portugueza do Chocolate, as características da pipa permitem conferir “complexidade aromática” ao chocolate. A estabilidade da pressão, humidade e temperatura dentro das Grutas de Mira de Aire auxilia no “processo de maturação do cacau”.

Tenha acesso ilimitado a todos os conteúdos do site e à edição semanal em formato digital.

Se já é assinante, entre com a sua conta. Entrar