Assinar
Marinha Grande

No regresso da Bandeira Azul, Vieira reclama fim da poluição

Câmara da Marinha Grande quer juntar Pedras Negas e Praia da Vieira ao lote de areais com bandeira azul.

foto do areal da praia da vieira

Está em preparação um dossiê com o levantamento dos problemas que têm impedido que a Bandeira Azul seja hasteada na Praia da Vieira. “Andamos a reunir os elementos para depois apresentar um dossiê e tentar resolver o problema”, revelou, dia 29, João Brito, vereador do Ambiente da Câmara da Marinha Grande.

Um dia depois de conhecido o regresso da Bandeira Azul a praias do concelho, o município sinalizou a intenção de enfrentar a questão da qualidade da água, calcanhar de Aquiles que tem impedido o hastear da bandeira na Praia da Vieira. A recolha de dados ambientais que sustentem a necessidade de melhorar a qualidade da água no rio Lis, que desagua na Praia da Vieira, será a aposta. Recorde-se que no passado dia 28, foi conhecido que as praias de São Pedro de Moel e Praia Velha, foram galardoadas com a Bandeira Azul, pela Associação Bandeira Azul da Europa (ABAE). Há 23 anos que nenhuma praia do concelho contava com esta distinção, consequência da opção local de não as candidatar. O problema da poluição no rio Lis, e o eventual impacto na Praia da Vieira, motivou quase um quarto de século de afastamento.

Na reunião da Assembleia Municipal de dia 29, Álvaro Cardoso, presidente da Junta de Vieira de Leiria, apontou o facto de considerar que parte do problema estará nas ETAR das Águas do Centro Litoral, junto ao rio Lis. Esta é uma empresa comparticipada por vários municípios, entre os quais a Marinha Grande, razão pela qual “temos o dever e a obrigação de os pressionar para que esta situação rapidamente se resolva”, referiu. Momentos antes, Vanessa Rocha, deputada do +MpM, força que detém o poder na Câmara, apontou a necessidade de pressionar para uma resolução do problema da poluição, junto da CIMRL: “temos que exigir que algo seja feito, temos que pressionar as entidades competentes e colocar este assunto na ordem do dia”.

João Brito assegura que a intenção da autarquia passa por tentar, já no próximo ano, juntar Pedras Negras e a Praia da Vieira à lista de zonas balneares do concelho com a desejada bandeira. Para já, revelou, a candidatura não avançou por causa do problema da qualidade da água na foz do rio Lis. “A solução desse problema será da Ribeira dos Milagres ou das ETARS, esse é outro problema e que vai ser resolvido”, assegurou. Vai ser resolvido, garantiu, “porque agora há uma divisão de ambiente e antigamente havia intenções”.

Natural da Marinha Grande, Catarina Gonçalves, coordenadora nacional do Programa Bandeira Azul, também reconhece o impacto da poluição neste problema. Entrevistada pelo podcast “Noves Fora Nada”, a responsável admitiu que a poluição das suiniculturas “continua a ser um problema” e “não só na Marinha Grande”. Lembrando que ao longo dos anos, a praia de São Pedro de Moel assegurou sempre os “requisitos mínimos” para conseguir o galardão, Catarina Gonçalves reconhece que “em muitos municípios”, por “opções políticas”, nenhuma praia é candidatada quando alguma delas corre o risco de chumbar.

(Artigo atualizado às 22h40 do dia 9 de maio, com correção do nome do vereador do Ambiente da Câmara da Marinha Grande, João Brito).

Apoie o REGIÃO DE LEIRIA

Se chegou até aqui é porque este é um texto que lhe interessa. Por detrás dele há uma equipa e um conjunto de recursos que custam dinheiro e que, para continuarem a existir, precisam da sua ajuda. Gostávamos de lhe explicar como.