Assinar
Leiria Exclusivo

José Luís Jorge andou 1.400 km a descobrir a linha de fronteira

O repórter e fotógrafo de Leiria terminou uma longa caminhada de três meses desde a foz do rio Minho ao ponto onde o Guadiana encontra o Atlântico, em Vila Real de Santo António.

No final da aventura, José Luís Jorge na extremidade do Guadiana, em Vila Real de Santo António José Luís Jorge

Palmilhou 1.400 quilómetros, algumas vezes por terras de Espanha, quase sempre com os dois pés em Portugal. O repórter e fotógrafo José Luís Jorge investiu três meses para ligar a foz do Minho à do Guadiana, desafiando-se física e psicologicamente. “Não há nada de heróico no meu projeto; há, tão só, determinação, resistência e capacidade de organização”, apontou, a dado trecho, no bloco de notas. Impelido pela vontade de viajar e de autossuperação, o leiriense inspirou-se na demanda de Duarte d’Armas, no século XVI, para compreender o que é, afinal, esta fronteira do século XXI.