Assinar
Leiria

IPMA confirma julho com calor inédito na região que ferveu a quase 45 graus

Na cidade do Lis, nunca as temperaturas máximas e mínimas tinham atingido valores tão altos como em julho, revela o IPMA

Está confirmado, o dia 12 de julho pulverizou todos os recordes de temperatura máxima entre nós. O boletim climático do mês de julho foi tornado público esta tarde pelo Instituto Português do Mar e da Atmosfera e deixa claro que os 44,1 graus celsius registados em Leiria, foram não só o valor mais alto na cidade em julho, como constituem um novo recorde absoluto.

Ainda assim, na região, foi em Ansião que a temperatura máxima mais subiu e o novo recorde foi mais longe.

A situação repete-se em vários locais na região e no país. De acordo com o IPMA, que classifica o mês passado como extremamente quente, este foi mesmo o julho mais quente, no país, desde 1931.

A nível nacional, o valor mais elevado da temperatura máxima do ar, 47.0 °C, ocorreu na estação do Pinhão, no dia 14, e constitui um novo extremo para o mês de julho, aponta o instituto. Mas a região não ficou assim tão longe, tendo amealhado novos máximos.

Em Leiria, os 44,1 graus de dia 12 ultrapassam não só o anterior máximo registado nesse mês (40,3 graus a 17 de julho de 2002), como o recorde absoluto da cidade que se cifrava em 42,3 graus, atingidos a 4 de agosto de 2018.

Ainda assim, em Ansião, os termómetros foram ainda mais longe: no dia 13, atingiram 44,7 graus, novo máximo de julho e absoluto. Até aqui, Ansião contava com 41,2 graus de recorde de julho (dia 17 do ano 2020) e um máximo de 43,4 graus, registados a 4 de agosto de 2018.

Aliás, o IPMA adianta que, no continente, “entre os dias 7 e 14 de julho foram registados 98 novos recordes de temperatura máxima”.

Alcobaça, embora não tenha batido o recorde absoluto, ultrapassou o máximo anterior de julho, com 41.0 graus de dia 13.

No entanto, também se bateram recordes nos valores de temperatura mínima, igualmente na região. É, novamente, o caso de Leiria. Com uma temperatura mínima de 22 graus, registada a 14 de julho, acima do anterior recorde, atingida no dia dos grandes incêndios de há cinco anos. De facto, a 15 de outubro de 2017, Leiria tinha registado a temperatura mínima mais alta de que havia registo, com 21,9 graus. Foi agora foi ultrapassada por uma décima.

No entanto, os 22 graus da noite de dia 14, em Leiria, ficam distantes da mais alta temperatura mínima do mês passado, registada em Portugal: 28,6 graus em Proença-a-Nova.

Com um mês extremamente quente e com precipitação quase inexistente (0,4 milímetros em Leiria), a região e o país atravessam uma seca acentuada. No continente, 55.2% do território – incluindo boa parte da nossa região – estão em seca severa. O restante está em seca extrema, o que inclui parte da zona nordeste do distrito de Leiria, revela o boletim do IPMA.

Tenha acesso ilimitado a todos os conteúdos do site e à edição semanal em formato digital.

Se já é assinante, entre com a sua conta. Entrar