Assinar Edições Digitais

Artista analista: “Crianças e Tiaras”

Descobri recentemente o canal de televisão temático TLC, composto por vários programas de bizarria norte-americana, de que destaco a série “Crianças e Tiaras”.

António Cova, músico af.cova@gmail.com

Descobri recentemente o canal de televisão temático TLC, composto por vários programas de bizarria norte-americana, de que destaco a série “Crianças e Tiaras”. Baseia-se num concurso onde crianças com idades entre os dois e os cinco anos são enfeitadas de forma a tornarem-se uma representação em miniatura de figuras reconhecidas do showbiz, para júbilo dos seus pais.

A coisa torna-se tão caricata que chega ao ponto de uma mãe, ao ver uma concorrente da filha desfilar mascarada da personagem interpretada por Julia Roberts no filme “Pretty Woman”, ficar indignadíssima por permitirem que uma criança se disfarce de prostituta, algo que ela jamais aceitaria…! Pergunto-me se todos estes formatos de espetáculos em que crianças são, na sua inocência, exploradas em proveito do regozijo dos pais e do lucro dos promotores dos eventos, não será uma forma obscura de prostituição, onde proxenetas se vestem de falsos e oportunistas afetos. O tema deste artigo surgiu-me por estar cada vez mais perto de nós esta realidade. A televisão portuguesa começa a ser minada com estes formatos de entretenimento e, até na nossa cidade, se vem sentindo junto de uma série de beneméritas entidades um enorme interesse em aproveitar e apostar em métodos obsequiosos para “comprar” os pais (com dinheiro, os outros não interessam) no ensaio de fazer seus filhos felizes.

(texto publicado na edição em papel de 3 de agosto de 2012)