Assinar
Desporto

Olegário Benquerença espera apitar pelo menos dois jogos no Mundial 2010

O árbitro português Olegário Benquerença tem esperança de apitar pelo menos dois jogos no Mundial de futebol 2010, o necessário para “uma participação de sucesso”.

O árbitro internacional português Olegário Benquerença tem esperança de apitar pelo menos dois jogos no Mundial de futebol 2010, o ncessário para  “uma participação de sucesso”.

O juiz de Leiria foi homenageado sexta-feira pela Associação de Futebol de Leiria num jantar na Batalha e considerou que, “tendo em conta a história da arbitragem ao nível dos campeonatos do mundo, fazer dois jogos significa ter uma participação de sucesso”.

“A partir do segundo jogo, tudo o que venha será uma mais-valia. Para quem está a estrear-se numa competição deste nível, fazer dois jogos será um objectivo mais do que conseguido”, disse Olegário Benquerença, que assumiu não pensar na final.

“Não sonho com a final. A este nível temos de ser muito racionais e focar naquilo que é o desempenho. Estar numa final significa ter feito quatro ou cinco jogos todos ao mais altíssimo nível”, explicou.

Contudo, Olegário Benquerença admite que “a partir da altura em que se está lá tudo é possível”, tal como acontece com as selecções participantes, que “ambicionam atingir a final, sabendo que apenas duas o farão e que apenas uma ganhará”.

A participação na competição na África do Sul, “mais do que um objectivo de carreira, é um sonho de criança, o sonho de uma vida” que se concretiza após 20 anos de carreira e que é “motivo de enorme orgulho”.

A 14 dias do início do Mundial, o árbitro internacional assume que o acontecimento “mexe um pouco” consigo, mas acrescenta que “este é um percurso com vários anos” em que se vai “consolidando a experiência” de forma a, quando se chega a este nível, estar preparado emocionalmente.

Apoie o REGIÃO DE LEIRIA

Se chegou até aqui é porque este é um texto que lhe interessa. Por detrás dele há uma equipa e um conjunto de recursos que custam dinheiro e que, para continuarem a existir, precisam da sua ajuda. Gostávamos de lhe explicar como.