A primeira volta do campeonato ainda não acabou e o Ginásio Clube de Alcobaça já leva seis pontos de vantagem sobre o segundo classificado da divisão de honra distrital.

A direcção acredita que é possível chegar à III divisão nacional com a experiência dos jogadores, equipa técnica, médica e de todos os que trabalham no clube.

Mas deixa um aviso: voltar à I divisão, como em 1982, nunca mais.

Do grupo de então, constam nomes como José  Romão (treinador do Al-Kuwait e ex-seleccionador de Sub-21), Varela (que passou pelo FC Porto) e Cavungi (que jogou no Benfica). O treinador era Orlando Moreira e Edmundo Duarte o adjunto.

Do plantel, apenas Domingos, guarda-redes em 1982, continua a visitar o clube. Aos domingos vai ao estádio ver o filho, Bruno Novo, jogar pelos seniores do Ginásio. Bruno está na equipa pela segunda vez e sente orgulho especial ao vestir a camisola azul. “Tento sempre dar uma boa imagem e representar da melhor maneira o clube. É uma grande responsabilidade jogar num clube onde o meu pai também jogou e que chegou à I divisão”, afirma.

O sucesso do  Ginásio de Alcobaça na I divisão é ainda recordado por muitos. Mas ninguém quer lembrar  o desaire que se seguiu: as descidas sucessivas até aos distritais e as dívidas na ordem dos 400 mil euros.

“Foi uma grande época. Chegaram a ir autocarros cheios de Alcobaça acompanhar a equipa fora”, lembra Domingos, salientando a euforia do jogo com o Benfica. “O estádio encheu para ver o Benfica jogar em Alcobaça. Empatámos 1-1. Até então, o Eriksson [treinador do Benfica] só tinha vitórias e nós roubámos-lhe o primeiro ponto”.

Leia mais na edição em papel de 7 de Janeiro de 2011.

Marina Guerra
marina.guerra@regiaodeleiria.pt
Joaquim Dâmaso (fotografia)
joaquim.damaso@regiaodeleiria.pt