Assinar
Desporto

Receitas de bilheteira da União de Leiria penhoradas

As receitas de bilheteira da União de Leiria estão a ser penhoradas pela Direção-Geral dos Impostos por dívidas da Sociedade Anónima Desportiva (SAD) leiriense para o futebol à administração fiscal.

As receitas de bilheteira da União de Leiria estão a ser penhoradas pela Direção-Geral dos Impostos por dívidas da Sociedade Anónima Desportiva (SAD) leiriense para o futebol à administração fiscal.

SAD leiriense com dívidas às Finanças e Leirisport

Em declarações à agência Lusa, o presidente da SAD, João Bartolomeu confirmou a existência das penhoras, mas minimizou o fato e as dívidas que as motivaram.

Segundo os jornais O Jogo e Jornal de Leiria, já chegaram 11 cartas de penhora à Leirisport, a empresa municipal que gere o Estádio Municipal de Leiria e tem retido as receitas de bilheteira dos jogos da União de Leiria porque não recebe pagamentos pela utilização da infraestrutura desde agosto de 2010.

O contrato assinado entre a Leirisport e a União de Leiria, da principal Liga portuguesa de futebol, prevê o pagamento de 17.500 euros por cada jogo realizado no Estádio de Leiria, mas a SAD ainda não saldou qualquer fatura desta época, pelo que a dívida ascende a cerca de 200.000 euros.

O acordo estipula que a Leirisport retenha as receitas de bilheteira para salvaguardar o incumprimento dos valores estabelecidos.

Contudo, a empresa municipal tem recebido cartas de penhora da Direção-Geral dos Impostos relativas a dívidas da União de Leiria, SAD à administração fiscal, que tem preferência sobre a Leirisport na cobrança das dívidas.

Contactado pela Lusa, João Bartolomeu não negou as dívidas, mas ameaçou com processos os jornais e jornalistas que as divulgaram: “Não digo que a notícia seja falsa, mas não está correta. As notícias que saíram são para rir e por isso vamos mover processos-crime por difamação a quem as publicou”.

João Bartolomeu, garantiu que a União de Leiria “paga sempre a toda a gente” e, sem entrar em pormenores, declarou enigmaticamente: “Era importante que as Finanças recebessem o dinheiro, por isso entendemos deixar avançar a penhora”.

O líder da SAD afirma não saber “o valor da dívida” porque “a penhora já foi há muito tempo”, mas adiantou: “Ainda hoje mandei ver se está tudo regularizado. Se não estiver, pagamos”.

Leia mais sobre este assunto na edição de 28 de Janeiro de 2010 do REGIÃO DE LEIRIA.

Apoie o REGIÃO DE LEIRIA

Se chegou até aqui é porque este é um texto que lhe interessa. Por detrás dele há uma equipa e um conjunto de recursos que custam dinheiro e que, para continuarem a existir, precisam da sua ajuda. Gostávamos de lhe explicar como.