Assinar
Cultura

O dia mais negro de Leiria foi há 200 anos e é agora recordado em livro

“Invasões Francesas: Leiria, 5 de Março de 1811 – O incêndio da cidade, 200 anos”, livro organizado por Carlos Fernandes, foi lançado sábado no Salão Nobre dos Paços do Concelho de Leiria.

“Invasões Francesas: Leiria, 5 de Março de 1811 – O incêndio da cidade, 200 anos”, livro organizado por Carlos Fernandes, foi lançado sábado no Salão Nobre dos Paços do Concelho de Leiria.

A publicação reúne textos e notas introdutórias seleccionadas por Carlos Fernandes, que dão a conhecer a página mais negra da história de Leiria: o dia 5 de Março de 1811.

Foi nessa data que o exército francês incendiou e destruiu tudo o que encontrou pelo caminho, na retirada de Portugal na terceira e última das invasões francesas. Coimbra, Tomar, Batalha, Pombal, Porto de Mós, entre outras povoações arderam, tal como Leiria. Com uma particularidade: em Leiria todos os habitantes tinham debandado e não sobrou ninguém para relatar o que mudou para sempre a face da cidade.

Para se ter uma ideia, antes das Invasões Francesas Leiria tinha 3.000 habitantes. No final, sobraram 150.

O livro de Carlos Fernandes recorda esse episódio marcante na história da cidade.

Os efeitos das Invasões Francesas pode ser ainda melhor percebido na exposição  “Leiria no tempo das invasões francesas”, patente no átrio e junto aos claustros da Câmara de Leiria.

Apoie o REGIÃO DE LEIRIA

Se chegou até aqui é porque este é um texto que lhe interessa. Por detrás dele há uma equipa e um conjunto de recursos que custam dinheiro e que, para continuarem a existir, precisam da sua ajuda. Gostávamos de lhe explicar como.