Assinar
Sociedade

INAG assegura que Arriba de S. Bernardino vai ser consolidada em 2012

A arriba da Praia de S. Bernardino, onde ontem uma derrocada de pedras feriu seis pessoas, vai ser consolidada em 2012, numa intervenção orçada em 1,6 milhões de euros, informou o Instituto da Água.

A arriba da Praia de S. Bernardino, onde ontem uma derrocada de pedras feriu seis pessoas, vai ser consolidada em 2012, numa intervenção orçada em 1,6 milhões de euros, informou o Instituto da Água.

“Temos previsto em 2012, para esta área, uma intervenção de consolidação bastante complexa e extensa”, disse Ana Seixas, vice-presidente do INAG (Instituto Nacional da Água) à Lusa, adiantando que a intervenção “não será antecipada”, mas que tentarão “cumprir o calendário previsto”.

De acordo com a mesma responsável, a intervenção está incluída no Plano de acção 2007/2013, que inclui “intervenções em várias praias de todo o país”.

Na praia de S. Bernardino a obra está orçada em 1,6 milhões de euros e irá contemplar “o desmonte de alguns blocos de pedra que estão mais instáveis e em risco de ruir, pregagens, colocação de redes de sustentação e drenagem de águas”, explicou Ana Seixas.

Ana Seixas falava na praia de S. Bernardino, ao final da tarde, durante a visita ao local onde ao início da tarde ocorreu uma derrocada de pedras.

A derrocada teve lugar numa arriba com 12 metros de altura, mas a queda da maior parte das pedras foi travada por uma estrutura construída junto a linha de água, a cerca de seis metros de altura.

Resultaram ferimentos em seis pessoas, duas das quais foram transportadas para o Hospital das Caldas da Rainha, estando já estabilizadas e aguardando transferência para os hospitais da área de residência.

Dois outros feridos foram transportados para o Hospital de Peniche e outros dois, ente os quais uma criança de sete anos, foram assistidos no local com escoriações ligeiras.

O alerta foi dado às 14:51 horas de domingo e estiveram no local 16 bombeiros e sete viaturas.

A Polícia Marítima procedeu à interdição da área circundante com uma fita de proteção.

Lusa

Apoie o REGIÃO DE LEIRIA

Se chegou até aqui é porque este é um texto que lhe interessa. Por detrás dele há uma equipa e um conjunto de recursos que custam dinheiro e que, para continuarem a existir, precisam da sua ajuda. Gostávamos de lhe explicar como.