Assinar Edições Digitais


Cantinho dos Bichos

Tosquia: cuidados e conselhos a seguir

A tarefa deve ser desempenhada por alguém experiente: o veterinário, o tosquiador ou o dono. Acima de tudo, o animal deve estar relaxado, para depois adorar o seu novo look.

A tarefa deve ser desempenhada por alguém experiente: o veterinário, o tosquiador ou o dono. Acima de tudo, o animal deve estar relaxado, para depois adorar o seu novo look.

O cuidado com o pêlo dos animais de estimação é essencial para o seu bem-estar. Embora a actividade seja mais fácil com os animais de pêlo curto, há cuidados a seguir e repetir.

Por norma, os animais com pêlo médio têm de ser tosquiados de três em três meses. O espaço de tempo diminui se estivermos a falar de caniches, afgan hound ou retriver ou gatos persa.

Quanto às áreas que devem ser tosquiadas, nos gatos é de evitar o corte nas zonas da cauda e da cabeça. No dorso, peito e barriga, o pêlo cresce mais rapidamente. A mesma política deve ser adoptada para os cães: cortar onde cresce e deixar o pêlo nas zonas de crescimento mais demorado, recomendam os especialistas.

Um animal com um pêlo bem tratado, isto é, limpo, escovado, sem nós e sem estar demasiado espesso, principalmente na época quente, é suficiente para o animal se sentir bem.

Calor não é sinónimo de tosquia e frio não é sinónimo de pêlo grande: quanto maior for o pêlo, mais tempo o animal demora a secar-se, caso se molhe nas poças de água. O ideal é fazer uma boa tosquia no Verão e optar por uma mais leve no Inverno. Facilita a manutenção, escovagem, secagem e aquecimento do animal.

Pode fazer o corte em casa, no veterinário ou em tosquiadores profissionais. O animal deve, contudo, sentir-se seguro.

Sobretudo os gatos, que podem assustar-se com o barulho da máquina ou os cães que podem ficar ainda mais agitados. Para evitar o stress no animal, há quem opte pela anestesia. A medida não deve ser recorrente e o animal deve, com o tempo, ser preparado para este episódio.