Assinar Edições Digitais
Sociedade

Câmara de Leiria quer travar marginalidade no centro histórico

O presidente da Câmara de Leiria prometeu ontem uma atitude “firme” na regulação da atividade noturna do centro histórico da cidade, de forma a travar “focos de marginalidade” e a desertificação daquela zona.

O presidente da Câmara de Leiria prometeu ontem uma atitude “firme” na regulação da atividade noturna do centro histórico da cidade, de forma a travar “focos de marginalidade” e a desertificação daquela zona.

“Existem focos de marginalidade (…) e isso é lesivo da imagem de Leiria”, lamentou Raul Castro, prometendo uma “atitude firme por parte da autarquia” para evitar “um centro histórico deserto de moradores”.

Na zona mais antiga da cidade existirão bares em situação ilegalidade ou que não cumprirão horários, uma situação a que se associará o comportamento antissocial dos clientes, criticou Raul Castro.

O autarca sublinhou que “não é possível aceitar casos de agressões a pessoas que se limitam a chamar a atenção daqueles que estão a incomodar” e, por isso, há que “ir até às últimas consequências” em conjunto com outras entidades, como a PSP.

O presidente da Câmara de Leiria admitiu ser essencial o investimento privado para requalificar o centro histórico, mas que cabe à autarquia disciplinar os horários de funcionamento dos estabelecimento noturnos e às forças de segurança assegurar “menos problemas” naquela zona.

Lusa