A Câmara Municipal de Alcobaça deu luz verde à Mohave Oil para instalar uma plataforma para a prospeção de gás natural na cidade. A aprovação da proposta foi feita por unanimidade, e seguiu-se aos pareceres favoráveis das várias entidades envolvidas no processo.

Paulo Inácio defende, no entanto, a alteração da legislação no sentido de proteger e beneficiar os interesses dos concelhos onde são feitas as explorações, como forma de compensar alguns inconvenientes daquele tipo de trabalhos.

Segundo Paulo Inácio, na lei em vigor apenas estão contemplados os interesses do Estado, e o autarca defende que a questão deveria
ser objeto de legislação para “recompensar financeiramente as autarquias e populações”.

A prospeção deverá começar no próximo mês de junho, depois de concluídos os trabalhos de terraplanagem e montagem da plataforma. A intervenção obriga a Mohave Oil a uma laboração contínua de 24 horas por dia, ao envolvimento de cerca de sete dezenas de pessoas, e o furo deverá atingir uma profundidade de três mil metros.

Os trabalhos vão decorrer a 700 metros do mosteiro, num terreno junto à VCI, conhecido por Quinta do Telheiro, e por um período de cerca de 120 dias.

(notícia publicada na edição de 11 de maio de 2012)