Assinar Edições Digitais
Mercado

Criatividade. Na Marinha Grande todos os dias há um novo futuro

A partir do CDRsp, dezenas de investigadores trabalham com as empresas para antecipar os produtos, materiais e processos de amanhã. A fama já chega ao estrangeiro.

Uma equipa de jovens investigadores na Marinha Grande está a trabalhar na manipulação de células para criar tecidos com uso na regeneração de ossos, cartilagem, pele e órgãos humanos, um projeto do CDRsp – Centro para o Desenvolvimento Rápido e Sustentado de Produto com 12 milhões de euros de financiamento.

A equipa de jovens investigadores liderada por Paulo Bártolo (fotografia: Joaquim Dâmaso)

Localizado na zona industrial de Casal de Lebre, o centro trabalha todos os dias com os empresários para antecipar o futuro, procurando novos materiais, produtos e processos que adicionem valor derrubando fronteiras.

No final de 2011, tinha em curso 55 projetos avaliados em 8,1 milhões de euros, com parcerias entre investigadores portugueses e estrangeiros e colaborações com empresas e universidades nacionais e internacionais, de países tão diferentes como os Estados
Unidos, a Austrália e a Argentina.

Fundado em 2007, no Instituto Politécnico de Leiria, o CDRsp foca-se no produto e somou 27 pedidos de patentes em 2009 e 2010.

“Podemos oferecer aos investigadores e empresas que nos procuram conhecimento que nós desenvolvemos e os outros não têm”, afirma o diretor, Paulo Bártolo, lembrando a cooperação com a indústria através de consórcios e serviços prestados.

A estratégia até 2018 dá prioridade à sustentabilidade e aos materiais inteligentes. “Queremos ser nós a conceber as tecnologias que vão marcar o futuro e estamos empenhados em ter papel ativo na definição das áreas de desenvolvimento”, explica Paulo Bártolo.

Um futuro que já tem casa: em 2014, o CDRsp inaugura um novo edifício.

Leia a reportagem na íntegra na página 22 da edição de 22 de junho de 2012.

Cláudio Garcia
claudio.garcia@regiaodeleiria.pt