Assinar Edições Digitais
Saúde

O meu filho tem varicela. E agora?

Varicella-Zoster. É este o nome do “bicho” responsável pela doença que deixa miúdos e graúdos com o corpo repleto de pequenas borbulhinhas vermelhas.

Varicella-Zoster. É este o nome do “bicho” responsável pela doença que deixa miúdos e graúdos com o corpo repleto de pequenas borbulhinhas vermelhas.

Mas afinal como surge a varicela e como pode ser tratada? É uma doença infantil que afeta, geralmente, crianças entre os 2 e os 8 anos de idade. Além do aparecimento de borbulhas por todo o corpo, “pode ser acompanhado de febre, irritabilidade e falta de apetite”, explica Eugénia Capela, médica pediatra com consultório em Leiria.

O contágio acontece através da via respiratória superior e o período de incubação pode ir de 14 a 20 dias. E depois do contágio,
como se deve tratar? Eugénia Capela recomenda que a criança permaneça em casa. “Durante o período da doença pode ser administrado paracetamol se a febre for mais elevada (mais de 38º C).

A criança não deve frequentar o infantário ou a escola até que todas as vesículas (borbulhas) estejam em fase de crosta nem deve apanhar sol”. Além disto, em caso de elevada comichão, a médica aconselha o uso de um antihistamínico para aliviar e um hidratante específico, que devem ser prescritos por um médico.

Certamente o leitor já se perguntou se não há uma vacina contra esta maleita. Pois bem, ela está disponível. Custa aproximadamente
40 euros e pode ser administrada após os 12 meses de idade. Mas pode não ser a solução.

Eugénia Capela refere que “esta vacina não é consensual, pois não sendo administrada a todas as crianças, não cria imunidade de grupo e pode fazer aumentar a doença numa idade mais tardia, nomeadamente na adolescência, com sintomas potencialmente mais graves”.

Uma vez com varicela, dificilmente voltará a surgir um segundo episódio na mesma pessoa. A doença confere imunidade permanente.

(Notícia publicada na edição de 6 de julho)