Assinar Edições Digitais
Cultura

Fádo com Alma lança disco “Nós” em forma de abraço aos fãs

Dois anos depois de terem surgido para propor uma viagem diferente pelo fado, Fádo com Alma lança esta quinta-feira, 13 de dezembro, o disco “Nós” no Moinho do Papel, em Leiria.

Dois anos depois de terem surgido para propor uma viagem diferente pelo fado, Fádo com Alma lança esta quinta-feira, 13 de dezembro, o disco “Nós”.

A cerimónia informal de lançamento acontece no Moinho do Papel, em Leiria, e começa às 21 horas, com entrada é livre.

Zé Rui, um dos músicos deste projeto de Leiria, antecipa um pouco do que se vai passar e fala do trajeto até “Nós”.

Zé Rui: “Fádo com Alma não são apenas os músicos, é principalmente o público”

 

O que significa para o Fádo com Alma o lançamento de “Nós”?
Tem um significado especial. É o culminar de um projecto que foi feito com paixão, como tudo deve ser feito na vida. É a apresentação do trabalho a todos que nos apoiaram desde o ínicio. Será o “abraço” dado a quem esteve sempre ao nosso lado… É também a afirmação de que “Nós” conseguimos. São notas musicais a substituir palavras… Que sempre estiveram, estão e estarão implícitas no resultado final.

O que vai acontecer no Moinho do Papel?
Vai ser uma apresentação informal do disco, sem actuação, onde todos podem e devem colocar perguntas para explicarmos todo o nosso trajecto. E claro, conhecer e, se possível, adquirir o CD.

Desde o início que Fádo com Alma causou impacto, enchendo diversas salas onde atuou. O que explica esse sucesso?
Penso que a interactividade tem sido uma vertente muito importante nos nossos espectáculos. Conseguimos sempre que o público possa cantar connosco, independentemente da qualidade da voz de cada um. Este factor é muito importante, porque temos tido a certeza que, no fim de cada espectáculo, todos voltam para casa tranquilos e sentindo-se parte integrante do mesmo. Com a vantagem de conseguirmos sempre novos e menos novos a “consagrarem” temas de sempre. O Projecto Fádo Com Alma não são apenas os músicos, é principalmente o público.

Depois do disco o que se segue?
Esperamos que surjam o espectáculos, tanto em Portugal como no estrangeiro. Os contactos já começaram… agora resta trabalho, trabalho, trabalho… A internacionalização do grupo vai ser uma certeza… Haja boa receptividade!