Assinar Edições Digitais
Sociedade

Judiciária faz buscas em Pombal por combustíveis adulterados

Polícia Judiciária desenvolveu uma operação em várias zonas do país, entre elas Pombal. Esquema lesou Estado em mais de dois milhões de euros

A Unidade Nacional de Combate à Corrupção, da Polícia Judiciária (PJ), desenvolveu uma operação em várias zonas do país, entre elas Pombal, relacionada com a alteração de produtos petrolíferos no mercado.

Em nota divulgada pela força policial, a operação “Moscatel” decorreu “na zona de Estoril, Azeitão, Almeirim, Santarém, Azambuja e Pombal” e procedeu a cerca de 30 buscas em residências, escritórios de firmas comerciais, bombas de gasolina, transportes de combustível e ainda “à detenção, fora e em flagrante delito, de três pessoas”.

A investigação decorria há cerca de dois anos, acrescentou a PJ, e envolve a prática dos crimes de fraude fiscal qualificada, de fraude sobre mercadorias, introdução fraudulenta no consumo de produtos petrolíferos, falsificação de documentos, insolvência, eventual associação criminosa com vista à prática de crimes tributários, e branqueamento das vantagens provenientes da atividade criminosa, no sector petrolífero.

O modus operandi utilizado passava pela “utilização de produtos petrolíferos que eram adulterados e posteriormente colocados na venda ao público como produto genuíno”. Da operação resultou a selagem de local de abastecimento de combustível, foram apreendidos cerca de 100 mil litros de combustível adulterado, várias cisternas de transporte, cerca de 30 mil euros, cerca de 10 mil libras, documentação variada como registos off-shore.

“A organização, composta por empresários e funcionários destes, pelo facto de não liquidar os devidos impostos – ISP, IVA e IRC – gerou um prejuízo aos cofres do Estado estimado em cerca de dois milhões e trezentos mil euros por ano de atividade”, revela a mesma nota.

Os detidos vão ser presentes a primeiro interrogatório judicial para a aplicação das medidas de coação adequadas.