Assinar
Cantinho dos Bichos

Tapada de Mafra recebe veados da Nazaré

Ao todo, saíram já da Nazaré 20 cervídeos, nove deles cedidos gratuitamente. Os restantes 11 foram vendidos por 3.050 euros.

Seis veados nascidos no cercado do Sítio da Nazaré habitam agora a Tapada Nacional de Mafra. A cedência foi feita pela Câmara da Nazaré a pedido daquela cooperativa de interesse público, que tem por objeto a investigação e preservação da fauna e da flora e a educação ambiental.

Esta não foi a primeira vez que a Câmara da Nazaré cede cervídeos a outras entidades. Em setembro de 2011, a autarquia cedeu também três veados para a Câmara de Lamego.

A saída de veados do cercado do Sítio da Nazaré tem sido uma constante desde a sua criação, em 2005, e prova “o crescimento exponencial” da espécie no pinhal de Nossa Senhora da Nazaré, propriedade da Confraria.

A saída dos primeiros veados começou em junho de 2011 com a realização de uma hasta pública. Mas a mesma acabou por ficar deserta, dados os requisitos exigidos para a compra: ter alvará de criador passado pela Autoridade Florestal Nacional, possuir transporte adequado e ter um médico veterinário responsável.

Numa segunda venda, também em hasta pública em outubro do mesmo ano, foram vendidos 11 veados para uma unidade hoteleira em Portel, e uma quinta em Ourém. Ao todo, saíram já da Nazaré 20 cervídeos, nove deles cedidos gratuitamente. Os restantes 11 foram vendidos por 3.050 euros.

Evocar a lenda de D. Fuas Roupinho e fazer uma aposta ambiental foram, na altura, os vetores que presidiram à criação do cercado com cerca de seis hectares, uma parceria entre a autarquia e a Confraria, proprietária do pinhal.

Além desta associação à lenda, o projeto revelou-se, segundo o presidente da câmara, uma aposta ganha do ponto de vista ambiental, com “o desenvolvimento de uma avifauna que já permitiu, por exemplo, o avistamento de esquilos”.

Artur Ledesma
artur.ledesma@regiaodeleiria.pt

Apoie o REGIÃO DE LEIRIA

Se chegou até aqui é porque este é um texto que lhe interessa. Por detrás dele há uma equipa e um conjunto de recursos que custam dinheiro e que, para continuarem a existir, precisam da sua ajuda. Gostávamos de lhe explicar como.