Cogumelos cultivados no interior da Terra. Esta é a mais recente inovação nas Grutas de Mira de Aire e que se acrescenta à experiência de quem visita aquelas que são as maiores grutas do país.

p20 grutasCarlos Alberto Jorge, responsável das grutas, revela que os visitantes já podem adquirir, no final da visita, cogumelos comestíveis, cultivados nas galerias.

“Já estamos a cultivar, para já em pequena escala, cogumelos no interior da gruta”, adianta. Carlos Alberto Jorge provou, a semana passada, os primeiros cogumelos colhidos no interior das Grutas de Mira de Aire. E ficou de tal forma satisfeito com o resultado alcançado que já tem planos para a nova iguaria: “Estamos a equacionar confecionar pratos à base de cogumelos cultivados na gruta”.

Nas galerias, a várias dezenas de metros de profundidade, a temperatura ambiente oscila entre os 17 e os 18 graus centígrados. Este facto, aliado à elevada humidade, cria as condições para o cultivo com sucesso. “Nem é necessário regar”, explica.

Esta nova iguaria, cultivada no coração do maciço calcário estremenho, junta-se ao vinho de vários pontos do país que está armazenado a 80 metros de profundidade, numa galeria das grutas, especialmente direcionada para este efeito.

Há vinhos da região, mas também do Douro, Dão, Alentejo e não só. “Acrescentámos o vinho do Porto e o moscatel, muito solicitados pelos visitantes estrangeiros, sobretudo as senhoras”, refere Carlos Alberto.

A experiência arrancou há dois anos e tem sido um sucesso. “Tem despertado muita curiosidade. É que o vinho provado lá em baixo tem outro encanto”. A ideia passa por alargar o leque da oferta, e estão a ser contactados produtores de vinho para ampliar a variedade de vinhos disponíveis.

As Grutas de Mita de Aire têm cerca de onze quilómetros de extensão – dos quais 600 metros são visitáveis – e foram consideradas uma das sete maravilhas naturais de Portugal.

(Notícia publicada na edição de 14 de agosto de 2013)

Carlos S. Almeida
carlos.almeida@regiaodeleiria.pt