O património religioso de Leiria motiva este sábado mais um Percurso Visite Leiria.

A partir das 10 horas, com saída do Convento de São Francisco, o público é convidado a conhecer os tesouros do património religioso da cidade, numa visita orientada por Gonçalo Cardoso, Humberto Dias, Sónia Vazão e Marco Daniel Duarte.

Precisamente o diretor do Departamento Cultural da Diocese de Leiria-Fátima, Marco Daniel Duarte, respondeu a questões do REGIÃO DE LEIRIA sobre o património religioso de Leiria:

F
Marco Daniel Duarte: “Leiria exibe naturalmente muitas peças de notável interesse”

Quais são os principais “tesouros” do património religioso da cidade de Leiria?
Aludindo apenas ao património arquitectónico – pois há outras importantes manifestações artísticas como a pintura religiosa, a escultura e a ourivesaria -, a cidade de Leiria, porque tem uma história multissecular, exibe, naturalmente, muitas peças de notável interesse, que mereceriam, cada uma de per si, uma visita: são exemplo a igreja de Nossa Senhora da Pena, a igreja de São Pedro, a catedral, a igreja da Misericórdia, a igreja de Santo Agostinho, o santuário de Nossa Senhora da Encarnação, apenas para citar alguns dos espaços mais emblemáticos de Leiria. Há depois todo um conjunto de construções que pontuam a cidade e que também se revelam do maior interesse, não obstante, por razões várias, nos passarem despercebidos, como são as capelas dos passos, para dar apenas um exemplo.

Que percurso será feito pelos participantes nesta visita?
O percurso que o Departamento do Património Cultural da Diocese propõe pretende chamar a atenção para diferentes testemunhos artísticos, mais antigos mas também contemporâneos, e mostrar o valor de diferentes tipos de património, desde a pintura, à escultura, à arquitetura e às artes decorativas de diferentes cronologias. Assim, iniciaremos o itinerário pelos frescos da igreja de São Francisco, percorreremos a cidade para avistarmos os lugares que, no passado, albergaram o paço episcopal e caminharemos para Santo Agostinho, onde contemplaremos a conjugação entre a estética antiga e a pintura contemporânea. A visita termina na sé, um dos mais importantes exemplos da arquitetura do seu tempo, não sem antes passarmos pela igreja da Misericórdia para aí fazermos uma leitura espacial, sobretudo didática, dos diferentes elementos que compõem um espaço religioso.

Têm acontecido iniciativas semelhantes a esta noutros locais da região. Está a crescer o interesse pelo património religioso?
De facto, todos os apontadores, inclusivamente os que são recolhidos pelos agentes especializados na área do Turismo, apontam para a crescente importância que o património religioso tem vindo a alcançar. Estou convencido que se deve a uma procura de ambientes construídos segundo uma estética que alia, em cada tempo, a forma ao conteúdo celebrado. O património religioso da diocese de Leiria-Fátima e, neste caso, da cidade de Leiria não será exceção, porquanto, nalguns casos, é exemplo do melhor que, na época, se fazia em termos artísticos.