Assinar Edições Digitais
Sociedade

Diretora da creche Superninho terá desviado mais de 120 mil euros

Assembleia geral extraordinária vota suspensão imediata da responsável pela “prática de atos dolosos que prejudicaram a instituição”.

Está marcada para domingo, pelas 18 horas, uma assembleia geral extraordinária da Supercoop – Cooperativa de Solidariedade Social, instituição que gere a creche e jardim-de-infância Superninho, localizada na urbanização de Santa Clara, em Parceiros, Leiria.

Em causa está a suspensão imediata da presidente do conselho de administração e diretora, Elsa Leitão, e de um vogal, Gil Duarte da Silva, que é também marido da responsável, por “atos praticados no exercício das suas funções que prejudicaram de forma grave a cooperativa”.

IMG_1269A convocatória para a reunião refere ainda a votação da destituição dos dois membros por “irregularidades graves na gestão da cooperativa, entre os quais a prática de atos dolosos que prejudicaram a instituição”.

Segundo o REGIÃO DE LEIRIA conseguiu apurar, a diretora terá alegadamente usado dinheiro da cooperativa para benefício pessoal.

Foi apresentada queixa no Ministério Público, em fevereiro passado, e o caso, em fase de inquérito, está a ser investigado pela Polícia Judiciária de Leiria.

Fonte ligada ao processo adianta que foram identificadas centenas de faturas, referentes a 2016, com um valor já apurado superior a 120 mil euros, em compras de diversa ordem: relógios, roupa interior, bijuteria, sapatos, material informático, produtos para animais de estimação. Só numa superfície comercial de Lisboa, foram contabilizados 47 mil euros gastos na aquisição de produtos.

O esquema funcionaria da seguinte forma: a responsável fazia as compras, pedia a fatura no nome da Supercoop e entregava aos serviços administrativos que posteriormente depositavam o valor na sua conta bancária. A confiança depositada pelos restantes membros dos órgãos sociais nunca levantou suspeitas de má gestão, durante vários meses.

O REGIÃO DE LEIRIA procurou por diversas vezes contactar o conselho de administração e a presidente, sem nunca conseguir obter qualquer comentário.

Leia o artigo na íntegra na edição de 9 de março de 2017.

Marina Guerra
marina.guerra@regiaodeleiria.pt