O incêndio que deflagrou na tarde de domingo na Burinhosa, no concelho de Alcobaça, e que se estendeu para os concelhos de Marinha Grande, Leiria e Pombal, deixou um rasto de destruição e 17.250 hectares ardidos, avançou o presidente da Câmara da Marinha Grande, Paulo Vicente, citado pela agência Lusa.

“A situação está controlada. Temos dois pontos críticos, mas não alarmantes. É no Ponto Novo e no Parque de Campismo da Orbitur, na Mata Nacional, em S. Pedro de Moel. Esperamos que durante este dia e princípio da noite, os pontos críticos fiquem resolvidos”, adiantou às 17 horas desta segunda-feira, 16 de outubro, o autarca que está prestes a cessar funções.

Segundo o Paulo Vicente, “pelas contas dos técnicos por alto, no fogo todo terão ardido 17.250 hectares, o que representa 80% da mata nacional”.

O cenário de quem passa pelos locais ardidos é desolador. Mostra a crueldade das chamas, que devastaram habitações, empresas e até parte do parque de campismo da Praia da Vieira, no concelho da Marinha Grande.

“Na freguesia da Vieira haverá cerca de dez primeiras habitações, cujos habitantes ficaram desalojados. Os serviços e as pessoas estão a resolver as suas situações para o realojamento”, explicou Paulo Vicente, ao realçar o “civismo dos munícipes”, que “obedeceram às orientações que lhes foram dadas, quer pelos bombeiros e forças de segurança, ao evacuarem as próprias habitações e encontrarem sítios seguros”.

Lusa

Um minuto na estrada que liga Marinha Grande e Vieira de Leiria