Select Page

Presidente da Câmara da Marinha Grande diz que ardeu cerca de 80% do Pinhal de Leiria

Presidente da Câmara da Marinha Grande diz que ardeu cerca de 80% do Pinhal de Leiria

Cerca de 80% do Pinhal de Leiria já foi consumido pelas chamas, adiantou hoje o presidente da Câmara da Marinha Grande citado pelo agência Lusa.

Paulo Vicente referiu que se vive um “cenário devastador e dantesco” no concelho, acrescentando que no início de agosto se tinha mostrado preocupado com a falta de limpeza da Mata Nacional de Leiria, que ocupa dois terços do concelho, principalmente junto às estradas florestais.

Também a Quercus alertou então para o desinvestimento do Estado nesta matéria, sobretudo na ótica da defesa da floresta contra incêndios.

“No que se refere à limpeza da mata, ela não estará assim tão bem quanto seria desejável, mas das informações que possuo do ICNF [Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas], eles têm pugnado para que esta limpeza seja feita”, afirmou Paulo Vicente (PS), ressalvando que a mata “é exemplar” em termos de ordenamento e que está dividida por talhões e aceiros.

O autarca explicou há dois meses que compete às câmaras fazerem a gestão do combustível [limpeza] numa faixa mínima de 10 metros, em ambos os lados das vias, nas estradas municipais, obrigação que passa para a Infraestruturas de Portugal (IP), entidade que gere as Estradas Nacionais (EN) que atravessam o Pinhal de Leiria.

Também um investigador ouvido na altura pela agência Lusa alertou que a falta de limpeza, de manutenção e de tratamento da Mata Nacional de Leiria, que ocupa dois terços do concelho da Marinha Grande, poderiam potenciar a deflagração de incêndios e devastar grande parte do pinhal.

“O Pinhal de Leiria está sujeito a que aconteça um cataclismo enorme por falta de limpeza e de tratamento, que poderá provocar um incêndio que irá destruir a maior parte do Pinhal de Leiria”, avisou Gabriel Roldão, 81 anos, estudioso do Pinhal de Leiria há mais de quatro décadas.

O também autor do livro “Elucidário do Pinhal do Rei”, lançado em março deste ano, contou que “deixou de existir a ação conservadora do Pinhal de Leiria”, propriedade do Estado, com 11.080 hectares, dividido em 342 talhões e que tem como espécie principal o pinheiro-bravo.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Siga-nos

Primeira Página

Publicidade

Publicidade

Pergunta da semana

A carregar

Concorda com a lei que proíbe o abate de animais nos canis municipais?

Obrigado pelo seu voto!
Já votou nesta pergunta!
Selecione uma das opções!

Região de Leiria no Facebook

Subscrição de newsletter

Share This