Select Page

Muita música e propostas para surpreender na Festa dos Museus

A solo, ao piano, Joana Gama abre a Festa dos Museus no Centro de Diálogo Intercultural de Leiria, segunda-feira, dia 16

Sete museus e espaços culturais de Leiria ganham outra vida entre segunda-feira, 16 de abril, e o dia 22, na terceira edição da Festa dos Museus, que pretende celebrar a diversidade museológica da cidade com cerca de meia centena de propostas, incluindo 17 concertos.

O programa contempla roteiros de observação de aves, visitas guiadas por D. Afonso Henriques, oficinas de pintura com luz ou sessões de cinema para bebés, entre ‘workshops’, espetáculos de dança e teatro e exposições.

O “prato forte” da programação é, contudo, a música, com 17 concertos que levam desde a música tradicional à eletrónica, passando pelo rock, fado e ‘turntablism’, a salas habituadas à contemplação em silêncio.

“Mais do que trazer à Festa dos Museus projetos de Leiria consolidados, como First Breath After Coma ou Surma – que já tocaram nas edições anteriores – quisemos pegar em projetos que digam algo à realidade museológica de Leiria, cruzando a tradição e a contemporaneidade”, explica Hugo Ferreira, da editora Omnichord Records, que escolheu a programação musical com Guilherme Garrido, responsável pela programação de festivais como Tremor, A Porta ou Supernova.

A intenção é, através da música, “apelar às pessoas para virem conhecer estes espaços”, seduzindo-as “a ultrapassar esta barreira que é muitas vezes, para muita gente, a porta dos museus”, acrescenta Guilherme Garrido.

“Será que todas as pessoas sabem a história da exposição ‘ReBelDes’, cujos autores usavam as chapas [de diagnóstico] da sua própria doença para fazer um filme? Ou conhecem a exposição ‘Manto de todas as cores’, onde há o cruzamento do trabalho de Mariana, a miserável, com arte sacra? Pegámos em exemplos como estes para construir uma programação que abranja músicas que podem ser ouvidas por todas as pessoas”, explica Hugo Ferreira.

A Festa dos Museus começa na segunda-feira, com um concerto de piano solo de Joana Gama no Centro de Diálogo Intercultural.

Sean Riley apresenta o novo disco “California” na terça-feira e o espanhol Eduardo Paniágua leva à Igreja da Misericórdia “Poemas de Alhambra e cânticos místicos”, na quarta.

O violetista José Valente criou um repertório próprio para apresentar na quinta-feira, no Moinho do Papel, à beira do rio Lis. No mesmo espaço, o dia 20 é dedicado ao rock, com Dirty Coal Train, Killimanjaro e Victor Torpedo Karaoke.

Dia 21, a brasileira La Baq atua no mimo, há Fádo com Alma no Moinho do Papel e Omiri e Beatbombers agitam o Museu de Leiria.

A fechar o programa musical da festa, dia 22, B Fachada (com um programa para famílias) e Farratuga vão ao Museu de Leiria, o Coral Polifónico do Oeste canta no Castelo de Leiria e o Grupo de Danças e Cantares de S. Romão atua no Agromuseu da Ortigosa. O último momento é uma serenata com António Ataíde no mimo, “uma apologia ao amor e ao respeito por esta cidade e por todas as pessoas que estão à frente dos equipamentos museológicos”, afirma Guilherme Garrido.

A Festa dos Museus acontece no Museu de Leiria, Castelo, mimo – Museu da Imagem em Movimento, Centro de Diálogo Intercultural, Moinho do Papel, Agromuseu Municipal D. Julinha e Centro de Interpretação do Abrigo do Lagar Velho.

Consulte o programa também aqui e faça download aqui.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Siga-nos

Primeira Página

Publicidade

Publicidade

Pergunta da semana

A carregar

Concorda com a exploração de petróleo e gás natural na região?

Obrigado pelo seu voto!
Já votou nesta pergunta!
Selecione uma das opções!

Região de Leiria no Facebook

Subscrição de newsletter

Share This