Select Page

Atletas da Bajouca percorrem caminho de Santiago para ajudar APD-Leiria

Grupo de peregrinos está a ultimar os preparativos para realizar uma caminhada solidária com mais de 400 km 

Um acidente de mota mudou a vida de Cristóvão Duarte em setembro do ano passado. Atleta federado de Ju-Jitsu, o jovem, que treinava no Grupo Alegre e Unido da Bajouca e no Grupo Desportivo e Recreativo do Casal Novo (Monte Redondo), sofreu lesões irreversíveis e ficou tetraplégico. Natural de Souto da Carpalhosa, está a ser acompanhado no centro de reabilitação Rovisco Pais.

Esta “viagem”, que familiares e amigos têm acompanhado, levou-o a conhecer as dificuldades por que passam outros jovens. “[Cristóvão] tem colegas que, em dias festivos, têm de permanecer na instituição onde estão a ser tratados porque os pais não têm meios para poderem adaptar as suas casas ou ter um carro que os possa transportar com conforto”, adianta ao REGIÃO DE LEIRIA Lúcia Neves, instrutora de Ju-Jitsu e de Defesa Pessoal naqueles dois clubes.

A situação do Cristóvão “levou-nos a descobrir uma realidade escondida”. “Além da dificuldade de verem as suas vidas modificadas”, muitas pessoas enfrentam “um sem fim de burocracias para que tenham a ajuda de que necessitam e que muitas vezes não chega”, refere.

Sensível a esta causa, Lúcia Neves decidiu pôr-se a caminho de Santiago de Compostela com mais duas atletas, uma mãe e duas instrutoras da Federação Nacional de Ju-Jitsu (que se juntarão ao grupo em Famalicão). A ideia é angariar fundos para a Associação Portuguesa de Deficientes de Leiria, podendo a população contribuir patrocinando quilómetros (ver caixa).

A partida está marcada para este sábado. Lúcia Neves, que já fez o caminho de Santiago a partir de Ponte de Lima em 2008 e 2013, estima em cerca de 450 km a distância a percorrer nos próximos dez dias. O grupo contará com o apoio de uma carrinha cedida pelo GRAU, ficando as despesas da viagem a cargo das peregrinas. O percurso está definido, os albergues identificados e os passaportes prontos para serem carimbados.

E porquê Santiago de Compostela? “Porque é um apóstolo peregrino que foi decapitado, e uma das coisas que fazemos quando chegamos é abraçar o seu busto. Eu tive dois acidentes e um problema de saúde que me podiam ter também deixado paralisada. Em 2013 fui agradecer o facto de as minhas pernas terem voltado a funcionar. Como precisamos de reabilitar pernas, braços e corações é lá que nós vamos”, explica.

(Noticía publicada na edição de 28 de junho de 2018 do REGIÃO DE LEIRIA e editada)

MR

A população está convidada a patrocinar quilómetros, através da doação de 10 euros por quilómetro, a favor da Associação Portuguesa de Deficientes de Leiria (APD-Leiria). A viagem pode ainda ser seguida através da página do Facebook “Devagar, devagarinho, vamos começar o caminhos!”, onde poderão ser encontradas informações sobre este projeto. Os donativos devem ser efetuados por transferência bancária para a conta da APD-Leiria. Mais informações podem ser solicitadas pelo email info-leiria@apd.org.pt.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Siga-nos

Primeira Página

Semana de Moldes 2018

Publicidade

Pergunta da semana

A carregar

Concorda com a criação de um imposto para financiar a Proteção Civil?

Obrigado pelo seu voto!
Já votou nesta pergunta!
Selecione uma das opções!

Share This