Select Page

Câmara de Pombal cancela contas na Caixa em protesto contra encerramento de balcão

Decisão de retirar contas da Caixa Geral de Depósitos foi anunciada esta tarde em reunião do executivo

A Câmara de Pombal anunciou esta quarta-feira, 6 de junho, a retirada das suas contas da Caixa Geral Depósitos. Em causa está a intenção, por parte deste banco, de encerrar o balcão do Louriçal.

Diogo Mateus, presidente da Câmara de Pombal, aproveitou a última reunião do executivo, realizada hoje, para informar formalmente que “a partir de amanhã vamos deixar de trabalhar com a CGD”, passando “sete milhões de euros em conta corrente” para outras entidades bancárias. Uma medida que “retribui a desconsideração” pelo município com o alegado fecho do balcão no Louriçal.

Para o autarca, “não existe nenhuma razão” para que se verifique o encerramento deste serviço, tendo em conta que “funciona há mais de 40 anos” naquela localidade do concelho de Pombal.

O autarca sublinhou que esta é a segunda maior freguesia do concelho, logo a seguir à freguesia de Pombal, sendo a CGD “um serviço público essencial”. Por isso, acrescentou, “não encontramos justificação que fundamente esta opção”, não esquecendo “que esta é uma entidade pública, onde foram injetados pelo Governo, no primeiro trimestre do ano, 2.500 milhões de euros”. Desta forma o edil garantiu que vai retirar sete milhões de euros em conta corrente, e mais 14 de mais-valias, transferindo-as para “outras entidades que olhem por estes bens com o devido respeito”, deixando apenas na CGD as “obrigações legais”.

Para a oposição a medida não foi bem vista, tendo Narciso Mota, vereador eleito pelo movimento independente Narciso Mota – Pombal Humano, acusado o atual executivo de estar a ser “radical”. O ex-presidente admite que está “solidário com o povo”, no entanto é “preciso analisar” os factos. “Não concordo com a posição da Câmara Municipal”, finalizou.

Por sua vez, Odete Alves, representante do Partido Socialista, admite que “o encerramento de balcões da CGD não é novidade para ninguém”. Defende que a “medida não deverá ter sido tomada de forma leviana”, no entanto acredita que “há necessidade de fazer um ajustamento face à realidade atual”, uma vez que o balcão “foi criado há 40 anos, mas temos que perceber que desde essa altura, até aos dias de hoje, certamente que muita coisa mudou”.

A confirmar-se a decisão do banco, este será o segundo balcão da CGD a encerrar no concelho desde que a Caixa Geral de Depósitos iniciou a sua reestruturação. 

Ana Laura Duarte

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Siga-nos

Primeira Página

Publicidade

Publicidade

Pergunta da semana

A carregar

Concorda com a lei que proíbe o abate de animais nos canis municipais?

Obrigado pelo seu voto!
Já votou nesta pergunta!
Selecione uma das opções!

Região de Leiria no Facebook

Subscrição de newsletter

Share This