Select Page

Quercus e Fundação Ageas plantam 20 mil árvores no Pinhal de Leiria

Quercus e Fundação Ageas plantam 20 mil árvores no Pinhal de Leiria

 A Associação Quercus e a Fundação Ageas, em colaboração com o Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF), vão plantar 22 mil árvores no Pinhal de Leiria, no sábado, disse hoje aquela organização ambientalista.

O coordenador do Grupo de Trabalho das Florestas da Quercus, Domingos Patacho, disse à agência Lusa que no sábado a associação ambientalista vai dar início a uma de muitas ações que prevê realizar no Pinhal de Leiria durante a época de chuvas.

No total, serão recuperados cerca de 16 hectares, correspondentes ao talhão 58, com plantas produzidas em viveiros certificados, entre pinheiros-mansos, pinheiros-bravos e espécies autóctones de zonas ribeirinhas.

Domingos Patacho acrescentou que a iniciativa irá mobilizar 250 voluntários, que irão realizar a rearborização “junto às linhas de água”, uma vez que se trata de espécies ripícolas.

“Com a chegada das primeiras chuvas irão recomeçar as ações de reflorestação, estando previstas algumas para novembro e dezembro”, revelou Domingos Patacho, salientando a importância das ações para contribuir para a rearborização do Pinhal de Leiria, depois do incêndio de 15 de outubro de 2017, que consumiu 86% da mata.

Em nota de imprensa, a Quercus refere que a iniciativa, além do cariz solidário, assinala o 20.º aniversário da Fundação Ageas, e que será realizada ao abrigo de uma parceria estabelecida com o projeto “Criar Bosques, Conservar a Biodiversidade”, da Associação Quercus, que tem como objetivo criar e cuidar de bosques de espécies autóctones, árvores e arbustos originais da flora portuguesa.

“É hoje inegável a necessidade de um maior investimento e um reforço das competências dos serviços florestais do Estado para fazer face à necessária recuperação do Pinhal de Leiria. Com as alterações climáticas, terão forçosamente de mudar os modelos de gestão das florestas públicas, abandonando a lógica produtivista e abraçando uma estratégia que promova a conservação dos solos e da biodiversidade”, referiu o presidente da associação ambientalista, João Branco, citado na nota de imprensa.

Segundo o dirigente, o “investimento que o setor privado e corporativo está a fazer na recuperação do Pinhal de Leiria, como é o caso da Fundação Ageas, tem uma enorme importância no envolvimento ativo e voluntário da sociedade civil na recuperação da floresta, dos seus solos e da biodiversidade”.

No mesmo comunicado, a presidente da Fundação Ageas, Célia Inácio, destacou que a ação de reflorestação “pretende sensibilizar o universo do Grupo Ageas Portugal (colaboradores, mediadores, familiares e amigos, parceiros, clientes e sociedade em geral) para o impacto de um papel de cidadania ativa, através de uma atitude voluntária, nomeadamente na recuperação de grandes catástrofes”.

“Durante estes 20 anos, a Fundação Ageas construiu um ecossistema de parcerias, de modo a gerar um impacto verdadeiramente positivo. Neste caso, é a nossa contribuição para o renascer do Pinhal de Leiria”, adiantou Célia Inácio.

 

Lusa

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Primeira Página

Publicidade

Publicidade

Pergunta da Semana

A carregar

Concorda que avance, a curto prazo, o processo de regionalização?

Obrigado pelo seu voto!
Já votou nesta pergunta!
Selecione uma das opções!

Publicidade

Newsletter Região de Leiria

app repórter no mundo

Semana de Moldes 2018

Guia do Fim de Semana


Subscreva o nosso guia e descubra as melhores propostas culturais e de entretenimento disponíveis na região

Obrigado! Subscreveu com sucesso o nosso guia de fim de semana.

Guia do Fim de Semana


Subscreva o nosso guia e descubra as melhores propostas culturais e de entretenimento disponíveis na região

Obrigado! Subscreveu com sucesso o nosso guia de fim de semana.

Share This