Select Page

Autoridades investigam morte de oito cães no Soutocico

Autoridades investigam morte  de oito cães no Soutocico

“Gostava muito de acreditar que desta vez será diferente mas tenho muitas dúvidas. O caso deve terminar como inconclusivo”. A declaração é de Bárbara Silva, voluntária da Desprotegidos – Associação Animais em Risco, e remete para o apuramento da causa da morte de oito cães, na semana passada, na localidade de Soutocico, freguesia de Arrabal.

Na terça-feira, dia 16, a associação foi contactada para dar conta da existência de uma matilha, com cerca de 15 animais, que circulava na localidade do concelho de Leiria. Também o canil municipal foi alertado pela Junta de Freguesia mas quando o Serviço Médico-Veterinário foi ao local, não avistou nenhum animal.

Na sexta-feira, dia 18, pela hora de almoço, uma voluntária da Desprotegidos deslocou-se ao local, na tentativa de fazer aproximação aos animais, procurar identificar alguns e planear a sua recolha mas, em vez da matilha, encontrou cinco cadáveres, aparentemente vítimas de envenenamento. Os corpos encontravam-se rígidos e apresentavam sangramento.

Apresentada queixa na GNR de Leiria, as autoridades foram ao local e recolheram quatro corpos. Regressaram no sábado e recolheram mais três e um outro foi encontrado segunda-feira, dia 21, parcialmente enterrado, prefazendo um total de oito animais mortos, dois deles com microchip.

Os cadáveres “foram examinados pelo médico veterinário do município de Leiria e estão à guarda do município”, informou a autarquia. Enquanto a GNR de Leiria esclarece que “será elaborado Auto de Notícia pelo Crime de Maus Tratos a Animais e enviado para o DIAP de Leiria. Os sete cadáveres de canídeos foram apreendidos de forma cautelar, para realização de necropsias e determinação da causa da morte”.

Quanto aos restantes, quatro foram encontrados vivos, um deles com microchip e o dono foi contactado, e a cadela, com cio, a principal razão porque os animais andavam em matilha, foi recolhida pela Desprotegidos e será esterilizada. Restam, segundo Bárbara Silva, dois cães à solta, que não se aproximam das pessoas e estão a ser alimentados pelos populares, com a finalidade de serem recolhidos a curto prazo.

A associação apela a quem tiver informações sobre os donos dos animais ou esteja disponível para adotar ou ser Família de Acolhimento Temporário, para entrar em contacto com a Desprotegidos.

“Apesar deste final, ficamos com a sensação que as pessoas estão em alerta e, se calhar, daqui a uns meses, alguém vai aparecer a vangloriar-se do que fez. Vamos aguardar”, acrescenta.

Marina Guerra
Jornalista
marina.guerra@regiaodeleiria.pt

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Primeira Página

Publicidade

Publicidade

Pergunta da Semana

A carregar

A programação da Capital Europeia da Cultura deve ou não incluir espetáculos tauromáquicos?

Obrigado pelo seu voto!
Já votou nesta pergunta!
Selecione uma das opções!

Newsletter Região de Leiria

app repórter no mundo

Share This