Assinar
Sociedade

Reportagem do REGIÃO DE LEIRIA distinguida com prémio de jornalismo da Rede Europeia Anti-Pobreza

Jornalista Carlos S. Almeida e fotojornalista Joaquim Dâmaso foram distinguidos na 1.ª edição do prémio de jornalismo “Analisar a pobreza na Imprensa”, com uma reportagem sobre inclusão

A reportagem “Inclusão: Quando as empresas abrem portas à diferença todos saem a ganhar”, com texto do jornalista Carlos S. Almeida e imagem do fotojornalista Joaquim Dâmaso, foi distinguida com o 2.º lugar, na categoria imprensa regional, do prémio de jornalismo “Analisar a pobreza na Imprensa”.

Esta foi a primeira edição do concurso promovido pela EAPN Portugal – Rede Europeia Anti-Pobreza com o objetivo de “distinguir trabalhos jornalísticos que abordem a pobreza e a exclusão social de forma digna, livre de preconceito e de outras representações negativas sobre estas matérias”.

A reportagem, publicada na edição do REGIÃO DE LEIRIA de 22 de novembro de 2018, descreve a realidade de empresas e instituições que, a nível local, incluem no processo produtivo pessoas com deficiência ou incapacidade. Se quem emprega elogia e valoriza o empenho destes trabalhadores, quem chega não desperdiça a oportunidade de se revelar eficiente.

Em concurso estiveram 58 trabalhos jornalísticos. O primeiro prémio na categoria nacional foi atribuído à jornalista Ana Cristina Pereira e ao fotojornalista Adriano Miranda, pelo trabalho “Esta escola já não é só para ciganos”, publicado no jornal Público a 28 de outubro de 2018.

Na categoria regional, o primeiro prémio foi para a reportagem “Esta é uma vitória nossa”, da autoria da jornalista Ana Martins Ventura e do fotojornalista Alex Gaspar, publicada no jornal O Setubalense, a 21 de dezembro de 2018.

A cerimónia de entrega dos prémios terá lugar no Museu Nacional da Imprensa, no Porto, no próximo dia 16 de outubro.

Apoie o REGIÃO DE LEIRIA

Se chegou até aqui é porque este é um texto que lhe interessa. Por detrás dele há uma equipa e um conjunto de recursos que custam dinheiro e que, para continuarem a existir, precisam da sua ajuda. Gostávamos de lhe explicar como.