Select Page

Opinião: Exercício físico ao sol

Bruno Pereira Carreira

Bruno Pereira Carreira

Médico

Com a chegada do verão é comum existirem mais pessoas a exercitarem-se ao ar livre. Embora este ano o verão esteja a ser atípico, em particular na região Centro, esta época do ano caracteriza-se pelo sol e pelas temperaturas elevadas, fatores que podem gerar um stress adicional para quem gosta do ar livre como cenário para praticar uma caminhada ou correr. Por isso, é importante ter em linha de conta que deve manter uma hidratação e alimentação adequados nesta altura do ano, até mesmo se treina em ambiente fechado, como em ginásios ou pavilhões desportivos.

Falar do verão é, inevitavelmente, falar de sol. O sol faz bem à saúde! O sol permite a produção da vitamina D favorecendo a fixação do cálcio nos ossos e nos dentes; melhora o humor, sendo um ótimo antidepressivo; estimula o sistema endócrino, favorecendo o metabolismo e a utilização dos nutrientes ingeridos na alimentação. Todavia, a exposição excessiva aos raios solares, que contêm radiação ultravioleta (UV), pode também ter consequências negativas para a nossa saúde, nomeadamente queimaduras, desidratação e cancro da pele. Embora, em regra, todos saibamos os riscos da exposição excessiva ao sol, o facto é que no que concerne aos comportamentos de proteção solar facilitamos e não temos comportamentos adequados. Prova disso é que o diagnóstico de doenças malignas da pele, como o carcinoma basocelular, carcinoma espinocelular e melanoma maligno tem vindo a aumentar, facto que nos deve preocupar a todos.

Deste modo, se a sua opção for correr ou caminhar ao ar livre, o horário ideal é pela manhã até às 11 horas ou à tarde após as 15 horas. A realização do exercício neste horário recomendado não dispensa o uso de um bom protetor com um fator de proteção solar (SPF) de 30 ou mais. Embora possamos pensar que períodos pequenos ao sol dispensam o uso de protetor, recomenda-se que para exposições solares superiores a 20 minutos se use protetor. Uma noção muito importante que devemos ter é que, mesmo nos dias sem sol, 80% da radiação UV atravessa as nuvens e o nevoeiro, podendo atingir a pele, sendo por isso importante que também nestes dias se proteja aplicando protetor solar.

Recomenda-se ainda que o protetor seja aplicado 30 minutos antes da exposição solar, para que este possa ser completamente absorvido, caso contrário, o suor irá acabar por remover grande parte aquando da prática de exercício. Existem inclusivamente protetores que são adequados à prática desportiva. Por outro lado, períodos de exposição ao sol superiores a hora e meia, necessitam que renove a aplicação do protetor solar. Deve ainda renovar a aplicação do protetor se realizar exercícios aquáticos ao ar livre ou se suar muito.

Adicionalmente, pode optar por vestuário desportivo com proteção solar, uma ótima maneira de proteger a sua pele. A maioria das marcas desportivas tem boas opções que são vendidas com a indicação FPU – Fator de Proteção Ultravioleta.

Por fim, referir que deve proteger os olhos, recorrendo a óculos de sol com proteção UV e chapéu de preferência de abas largas. Se necessário aconselhe-se junto do seu médico ou na farmácia. Bons treinos e, se ainda se aplicar, boas férias!

(Artigo publicado na edição de 5 de setembro de 2019)

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Share This